Assistência ao viajante é saída para evitar gastos inesperados; serviço custa a partir de R$ 6 por dia

Uma maneira segura de não ultrapassar o orçamento é a contratação de uma assistência de viagem. Por uma quantia irrisória, o viajante tem a sua disposição vários serviços que poderiam afetar pesadamente o bolso caso fossem necessário usar

  
  
Mais comum do que se pode imaginar, o cancelamento de uma viagem chega a US$ 4 mil e o retorno antecipado: menos US$ 2.500

Uma preocupação recorrente de um turista, já quando começa a se programar para aquela tão esperada viagem, é com o quanto aquele momento de lazer irá pesar no bolso, principalmente quando se estiver de volta à realidade. Uma maneira segura de evitar sustos e não ultrapassar o orçamento é a contratação de uma assistência de viagem. Para se ter ideia da boa relação custo/benefício que isso pode proporcionar, basta saber que para uma cobertura de seis dias gasta-se, em média, a partir de US$ 18. Com o momento favorável do câmbio, esse valor será de menos de R$ 6 por dia, preço inferior ao de uma garrafa d´água em alguns países.

Por essa quantia irrisória, o viajante tem a sua disposição uma gama de serviços que podem afetar pesadamente qualquer orçamento para uma viagem, caso haja necessidade de sua utilização, sobretudo em um país estrangeiro. Nos Estados Unidos, por exemplo, o atendimento médico é cobrado por profissional que faz o atendimento e uma única consulta pode chegar a US$ 2.500. No exterior, uma assistência odontológica pode sair por US$ 1 mil, uma cirurgia no caso de uma perna fraturada pode impactar seu orçamento em US$ 22 mil, na média. Se for necessário o envio de um acompanhante, calcula-se mais US$ 5 mil de gastos extras.

Além dos altos valores, sofrer algum imprevisto em um local desconhecido pode causar problemas que vão desde a comunicação do ocorrido em outro idioma até as dificuldades com locomoção e acesso às informações necessárias para solucionar o imprevisto. Com uma assistência de viagem, tudo fica mais fácil. Basta ter acesso a um telefone. Mesmo se a saúde estiver ótima e a adaptação a um novo clima e localidade ocorrer tranquilamente, uma boa assistência também se fará presente diante de outras situações inesperadas, como o extravio de bagagens. Se o turista não estiver assistido, isso poderá custar cerca de US$ 3 mil, que poderiam dar lugar a gastos mais aprazíveis.

Mais comum do que se pode imaginar, o cancelamento de uma viagem chega a US$ 4 mil e o retorno antecipado: menos US$ 2.500 na sua conta. Na ponta do lápis, a contratação de um seguro não só é imensamente vantajosa na parte econômica, como também na questão de segurança e facilidade de atendimento caso algo não saia dentro do esperado. Afinal, o que tem de se guardar de uma viagem são os momentos felizes e não os possíveis aborrecimentos.

Fonte: MAPA Comunicação

  
  

Publicado por em