Após acidente, TAM tem queda de 30% nas vendas de passagens

GABRIELA GUERREIRO da Folha Online , em Brasília O presidente da TAM, Marco Antonio Bologna, disse nesta quinta-feira à CPI do Apagão Aéreo na Câmara que a companhia teve queda de 30% nas vendas de passagens a&eacu

  
  

GABRIELA GUERREIRO
da Folha Online, em Brasília

O presidente da TAM, Marco Antonio Bologna, disse nesta quinta-feira à CPI do Apagão Aéreo na Câmara que a companhia teve queda de 30% nas vendas de passagens aéreas após o acidente com o Airbus-A320, em Congonhas (SP).

Bologna disse que o cálculo não leva em conta a sazonalidade, mas estima que o percentual esteja relacionado à tragédia que deixou cerca de 200 mortos na capital paulista. "Já sentimos queda nas nossas vendas. Temos ainda que ver a sazonalidade. Estamos com queda da ordem de 30% em nossos movimentos de venda", afirmou.

Bologna negou à CPI a informação de que a TAM utilizaria em sua frota "turbinas de segunda mão", que seriam compradas de uma empresa israelense. "Não é verdade. Não usamos nenhuma turbina de origem israelense. Foi uma informação equivocada", afirmou.

O presidente da TAM disse que a companhia é certificada internacionalmente pelas empresas fabricantes de suas aeronaves. "Nós temos grande segurança em nossos procedimentos."

Ao ser questionado pelo relator da CPI, deputado Marco Maia (PT-RS), sobre as tarifas das passagens aéreas, Bologna disse que elas vêm tendo quedas anuais de cerca de 9%. "Apesar dos custos terem crescido, como os combustíveis, temos registrado queda nas tarifas médias. Isso gerou estímulo de tráfego aéreo", afirmou.

Segundo o presidente da TAM, os salários dos funcionários da empresa também são reajustados adequadamente seguindo as normas do mercado brasileiro.

Fonte: Folha Online

  
  

Publicado por em