Atrasos e cancelamentos de voos apresentam queda pelo terceiro ano em aeroportos brasileiros

Um levantamento feito a partir de dados consolidados pela Rede Infraero aponta que atrasos e cancelamentos de voos de companhias brasileiras vêm diminuindo ano a ano

  
  
Os índices de atrasos e cancelamentos de voos (partidas) nos meses de dezembro e janeiro – alta temporada – também registraram queda

Um levantamento feito a partir de dados consolidados pela Rede Infraero e apresentados pela Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) esta semana aponta que atrasos e cancelamentos de voos de companhias brasileiras vêm diminuindo ano a ano, desde 2010, apesar do crescimento no número de passageiros transportados. Em 2011, por exemplo, o percentual de cancelamentos de voos foi de 4,8% e, o de atrasos, 13,6%. Esse ano, no acumulado até o mês de setembro, os índices parciais foram de 3,9% (cancelados) e 10,4% (atrasados).

Os índices de atrasos e cancelamentos de voos (partidas) nos meses de dezembro e janeiro – alta temporada – também registraram queda. No período 2011/2012 os atrasos corresponderam a 14,2% dos voos, contra 20,2% no período 2010/2011. Os cancelamentos também diminuíram, caindo de 5,6% (2010/2011) para 3,6% (2011/2012). Veja os quadros abaixo, que se referem apenas a esses dois meses.

“Quanto aos cancelamentos”, diz o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz, “é importante lembrar que muitos deles dizem respeito a operações feitas de maneira programada, com meses de antecedência”. Essas ações são comuns no mercado e são realizadas para readequações de malha aérea. Nesses casos, os clientes são comunicados com a devida antecedência e reacomodados em outros voos. Isso explica porque muitas vezes os índices divulgados diariamente de cancelamentos não correspondem a passageiros “no chão”, jargão que significa passageiros em aeroportos sem possibilidade de voar. As companhias não vendem previamente esses bilhetes. Nesses casos de cancelamentos programados, os clientes são avisados das mudanças e seus assentos são garantidos em outros voos.

Pontualidade acima do regulamentado
Esses percentuais de atrasos e cancelamentos de voos apresentados são baixos se comparados com o número de voos e frequências realizados diariamente pelas empresas. Nos meses de setembro, outubro e novembro, as empresas aéreas associadas registraram uma média no índice de pontualidade de 93,36%, 92,81% e 92,49%, respectivamente, segundo apurou a ABEAR.
O compromisso das companhias associadas da ABEAR é atender seus clientes com excelência, oferecendo serviços de qualidade, eficiência, presteza e segurança, para que estes tenham as melhores experiências de viagem.

Entretanto, uma série de fatores pode impactar na regularidade e pontualidade de suas operações, como questões meteorológicas, tráfego aéreo congestionado, problemas de infraestrutura aeroportuária e restrições devido a obras, manutenção não programada de aeronaves, ajustes de malha, entre outros. Esses fatores externos ao gerenciamento das empresas são responsáveis por 50% a 80% dos cancelamentos.

Vale ressaltar que as associadas cumprem as normas da resolução 141 da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) com o auxílio a passageiros (alimentação, transporte, hospedagem, reacomodação etc.), a fim de garantir o transporte de seus clientes até o destino final, e também disponibilizam em seus canais de venda os percentuais de atrasos e cancelamentos dos voos (resolução 218 da ANAC). Só no ano passado, as companhias gastaram mais de R$ 70 milhões no atendimento a passageiros nestas condições.

Fonte: Embarque na Viagem

  
  

Publicado por em