Ministro da defesa afirma que obras em aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, não serão provisórias

Reforma definitiva em Guarulhos Ministro da defesa afirma que obras em aeroporto não serão provisórias Fonte: Agência Brasil

  
  

Reforma definitiva em Guarulhos

Ministro da defesa afirma que obras em aeroporto não serão provisórias

Fonte: Agência Brasil

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, confirmou a reforma definitiva do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Durante visita feita ao Comando Militar da Amazônia, em Manaus, ele explicou que a reforma será feita em três etapas, começando pelas cabeceiras das pistas.

" A reforma de Guarulhos é exatamente nosso objetivo. Nós vamos fazer uma reforma definitiva, ou seja, foi afastada a hipótese de reforma provisória. Uma etapa começa numa das cabeceiras da pista. Encerrada essa fase, serão utilizadas as outras duas partes e, quando tiver que fazer a reforma definitiva da parte central, paralisa-se a pista e aí Viracopos (Campinas) já estará pronto para receber os 21 vôos que precisam ser deslocados " , disse o ministro.

Nelson Jobim afirmou que os recursos necessários para a obra já estão previstos pelo Ministério da Defesa. A partir desta segunda-feira, comentou o ministro, haverá uma reunião com representantes da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), para definição das atividades. " Vamos nos reunir com a Infraero justamente para definir quadros e começar as obras de imediato " , acrescentou.

Jobim informou que está programando uma visita a Jundiaí, Guarulhos e Viracopos e que em breve receberá um levantamento sobre condições e detalhes dos aeroportos, elaborado pela Aeronáutica e a Infraero. " Eu pedi também um levantamento completo da Aeronáutica e da Infraero não só sobre as condições de todas as pistas, mas também sobre o zoneamento urbano no entorno do aeroporto, de forma tal que nós possamos disciplinar todas as atividades, antes mesmo de os problemas acontecerem " .

Para Nelson Jobim, segurança, regularidade e pontualidade definem o que a população está buscando neste momento na prestação dos serviços aéreos. " A segurança está vinculada ao tráfego aéreo, à manutenção das aeronaves e ao estado dos aeroportos. A regularidade é a forma pela qual as empresas estão prestando o serviço, ou seja, nós precisamos casar esses três elementos para que a população tenha segurança, regularidade e pontualidade na prestação de serviços. "

No quesito segurança, a fiscalização e o número de fiscais serão observados para garantir eficácia no setor. Sobre a prestação de serviços, Nelson Jobim esclareceu que as responsabilidades governamentais e empresariais estarão muito bem definidas nesse novo modelo e, caso haja descumprimento de suas demandas, que sejam aplicadas multas e punições.

O objetivo, segundo o ministro, é " atender, na perspectiva do Estado, o que é do Estado e, o que for das empresas, que seja atendido pelas empresas " .

Quanto à atuação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Jobim disse que será feita uma avaliação do trabalho realizado. " As discussões que tenho visto em relação a esse tema são teóricas, ou seja, alguns estão sustentando que por motivos econômicos nós teríamos um modelo de agência regulatória como modelo importante. A questão que temos que saber é se uma agência funciona em sua função específica. Não quero fazer uma discussão de natureza teórica. A questão é saber se funciona ou não. "

Antes de retornar a Brasília, Nelson Jobim esteve no 4º Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta 4). Ele disse que a visita é resultado do convênio do Ministério da Defesa com a Eletrobrás e do apagão ocorrido no dia 21 de julho em Manaus.

Fonte: Portal Radar

  
  

Publicado por em