MTur vai atuar para o aeroporto do Guarujá operar vôos comerciais

“O turismo depende de investimentos em infra-estrutura e o transporte é um dos itens mais importantes para o desenvolvimento da atividade turística”. Assim, a ministra do Turismo, Marta Suplicy, defendeu a importância de o

  
  

“O turismo depende de investimentos em infra-estrutura e o transporte é um dos itens mais importantes para o desenvolvimento da atividade turística”. Assim, a ministra do Turismo, Marta Suplicy, defendeu a importância de o Aeroporto Metropolitano da Baixada Santista, em Guarujá e de uso militar, ser utilizado também para vôos comerciais. Em visita ao Núcleo Aéreo do aeroporto, na sexta (21/09), a ministra e o prefeito de Guarujá, Farid Madi, assinaram Protocolo de Intenções, sinalizando o comprometimento do MTur em articular, com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o Ministério da Defesa e a Infraero, a desvinculação das áreas civil e militar.

“Enquanto essa questão da desvinculação não estiver resolvida não temos como liberar recursos para o início das obras”, explicou Marta Suplicy. A ministra foi recebida pelo tenente-coronel Jorge Tebicherane, comandante do Núcleo Aéreo, que falou sobre o andamento do projeto. De acordo com ele, o custo da primeira fase das obras está estimado em R$ 14,5 milhões. A instalação do aeroporto já conta com parecer favorável do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e a licença prévia do Departamento de Avaliação de Impacto Ambiental (DAIA), órgão da Secretaria Estadual de Meio Ambiente. A Anac também analisa o projeto e deve se pronunciar sobre o assunto em outubro. “ Esse projeto pode fazer uma enorme diferença para o turismo da Baixada, principalmente para o segmento de eventos, pois Santos é a oitava cidade brasileira no ranking de eventos internacionais”, disse a ministra.

Projeto – A área a ser ocupada pelo futuro aeroporto equivale a 10% do espaço do Núcleo Aéreo, que tem 2,7 milhões de metros quadrados. O projeto de reestruturação inclui a construção de terminal de passageiros, estacionamento de veículos, pista de taxiamento, pátio para aeronaves, além da ampliação da pista de pouso e decolagem de 1,3 mil para 1,6 mil metros.

De acordo com a prefeitura de Guarujá, a pista do aeroporto possui boa drenagem, dispensando, inclusive, a necessidade de ranhuras (groovings) para o escoamento de água. Outra vantagem técnica é a facilidade no pouso das aeronaves, pois a pista está ao nível do mar, onde o ar é mais denso, o que facilita o pouso. Aproximadamente 15 aeronaves poderão pousar e decolar a cada hora.

O acesso ao local se dará por meio de duas rodovias principais da cidade: a Cônego Domênico Rangoni e a Santos Dumont. O projeto da prefeitura prevê, ainda, a abertura de novas vias de acesso. Com o aeroporto, Guarujá será a única cidade do país a contar com infra-estrutura aeroviária, ferroviária, portuária e rodoviária.

fonte: Portal Brasileiro do Turismo

  
  

Publicado por em