Seja dono da sua Agência de Viagens Virtual

Notícias > Turismo > Transporte ferroviário > 

Conheça o Brasil pela janela do trem

Engana-se quem pensa que é preciso estar na Europa para viajar sobre os trilhos. O Brasil tem hoje 32 trens turísticos em operação, espalhados por 11 estados das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste

25 de Fevereiro de 2012.
Publicado por Equipe EcoViagem  

Circulando por uma malha ferroviária de 30 mil km, os trens brasileiros atendem aos mais diferentes gostos e bolsos

Circulando por uma malha ferroviária de 30 mil km, os trens brasileiros atendem aos mais diferentes gostos e bolsos
Foto: Divulgação

Engana-se quem pensa que é preciso estar na Europa para viajar sobre os trilhos. O Brasil tem hoje 32 trens turísticos em operação, espalhados por 11 estados das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste. Os passeios proporcionam uma viagem por entre a História do Brasil - regada a cultura, paisagens e muito charme.

Circulando por uma malha ferroviária de 30 mil km, os trens brasileiros atendem aos mais diferentes gostos – e bolsos. A viagem pode levar apenas alguns minutos ou durar 12 horas, dependendo do destino. Pode percorrer apenas um ponto turístico ou cruzar de um estado a outro. Pode ser em vagões simples ou esbanjando luxo. Pode ser uma viagem tranquila ou embalada por música e apresentações culturais. Seja como for, viajar de trem hoje é uma oportunidade única de ver o Brasil pela janela.

Entre os mais populares está o Trem do Corcovado, no Rio de Janeiro, que recebe anualmente mais de um milhão de passageiros.
Em São Paulo, a Estrada de Ferro Campos do Jordão leva o viajante a um romântico passeio entre as cidades de Campos do Jordão e Santo Antônio, num trajeto de 2h30 - que percorre a Serra da Mantiqueira, com paradas como a do Aldo do Legado, o ponto ferroviário mais alto do Brasil, com 1.743m de altitude.

No Paraná, o Trem de Luxo, tão luxuoso quanto o nome, reconstitui o glamour e charme da época de ouro das viagens de trem, unindo decoração temática e belas paisagens.

Em Minas Gerais, os trilhos alcançam um universo que mistura história, cultura e arte, a bordo da famosa e charmosa Maria Fumaça. O trecho entre São João Del Rei e Tiradentes, por exemplo, é feito com guia e passa por diversos pontos turísticos, como a Serra de São José, conhecida também como Serra de Tiradentes, pela Mata Atlântica, Fazenda Centenária e Rio das Mortes. A rota Belo Horizonte a Vitória, no Espírito Santo, é também uma opção diferente e divertida de viajar.

Na região Sul, um mergulho pela tradição gaúcha é o que promete o passeio na Maria Fumaça, que liga as regiões de Bento Gonçalves e Carlos Barbosa. A locomotiva realiza shows e apresentações de teatro durante o percurso. Outros eventos culturais completam a programação nas plataformas, durante as paradas.

Saindo do Sul para o Nordeste, há 22 anos o Trem do Forró agita os turistas durante as festas juninas no percurso entre Recife e Caruaru. Em cada um dos 10 vagões, um grupo diferente de forro pé-de-serra agita os viajantes, durante trajeto de cinco horas regado a muita dança. O trem chega a carregar mil pessoas a cada viagem.

CRESCIMENTO
Mesmo ainda distantes das opções prioritárias de roteiros turísticos, o transporte ferroviário tem registrado amplo crescimento nos últimos anos. Somente em 2011, mais de cinco milhões de passageiros escolheram os trens como meio de transporte, volume 33% maior que o do ano anterior. E a meta para o futuro é ambiciosa, segundo o presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos Culturais (ABOTTC), Sávio Neves: “O setor ferroviário vem aos poucos ocupando um espaço importante no mercado interno do turismo.

É um trabalho lento e que demanda grandes investimentos. No entanto, com os trens que estão pra entrar em operação e o esforço que o setor pretende fazer para melhorar sua performance temos condições de chegar a 2016 com a marca de 10 milhões de passageiro por ano”.

Desde 2010, o Ministério do Turismo coordena um Grupo de Trabalho de Turismo Ferroviário que tem como missão desenvolver políticas de fomento ao turismo ferroviário no país. Para este ano, a prioridade é definir os projetos de trens que serão implementados nos próximos meses - há mais de 50 propostas de prefeituras e entidades privadas em análise.

A expectativa do Ministério do Turismo é colocar novos trens nos trilhos este ano, aumentando a oferta de atrativos turísticos nas diversas regiões do País. “Vamos definir quais projetos poderão ser desenvolvidos mediante concessão de bens móveis (vagões, mobiliários) e imóveis (estações) da extinta Rede Ferroviária Federal (RFFSA) e aporte de recursos públicos”, explicou o diretor do MTur e coordenador do Grupo de Trabalho responsável pela área, Ricardo Moesch.

DE OLHO NA COPA
O Ministério do Turismo espera receber 600 mil turistas estrangeiros durante a Copa do Mundo 2014. Além disso, outros 300 mil brasileiros vão circular pelas cidades-sede no período dos jogos. De olho nesse enorme contingente de passageiros, empresários do setor e do governo correm atrás das oportunidades para impulsionar o segmento, aumentar o número de trens em circulação e modernizar as operações atuais.

Como as operações ferroviárias estão fora dos grandes centros, os trens representam grandes oportunidades de se interiorizar o turismo no Brasil. “São ótimas opções para os turistas conhecerem o país, entre um jogo e outro”, destaca Sávio Neves.

Para colocar os turistas nos vagões durante a Copa, a ABOTTC aposta numa estratégia robusta de articulação junto a operadoras de turismo, de forma a inserir os roteiros ferroviários nas prateleiras dos viajantes. Com esse esforço, espera-se ainda mudar o paradigma do modelo de transporte do Brasil, que não contempla o ferroviário. “Além de um amplo esforço de comunicação e marketing, precisamos alertar dirigentes e sociedade civil para a oportunidade de negócios do nosso setor”, reforça.

Pra garantir sucesso nas oportunidades criadas na Copa e das Olimpíadas, o setor ferroviário trabalha para se conhecer mais. Uma parceria entre o Sebrae e a ABOTTC resultou recentemente no estudo ‘Trem é Turismo’, um diagnóstico dos principais desafios e competências essenciais para o bom desempenho de 24 operadoras de trens turísticos e culturais, visando o aumento da competitividade do segmento.

Fonte: MTur

Compartilhar nas Redes Sociais

Comentários

Hercules

 postado: 1/3/2012 07:49:14editar

E o passeio à Paranapiacaba parou porque?
E o projeto que havia para descida da serra?

 

MARIA JOSE.

 postado: 1/3/2012 07:54:21editar

ACHO A IDEIA ÓTIMA.

 

Eliana

 postado: 1/3/2012 08:01:27editar

Adorei a dica. Já fiz o passeio de Tiradentes à São João del Rei. Foi muito bom. A população é muito simpática. O trem passava e as pessoas acenavam, davam tchau e as crianças ficavam encantadas mesmo estando acostumados com o trem.

 

Leonardo

 postado: 1/3/2012 08:03:27editar

Vocês esqueceram de citar que o trajeto da Estrada de Ferro Campos do Jordão é de PINDAMONHANGABA à Campos do Jordão, passando pelo município de Santo Antônio do Pinhal.

 

Augusto

 postado: 1/3/2012 08:06:12editar

Como ex-ferroviario admiro pessoas que acreditam no transporte ferroviário, principalmente o passageiro, agradeço ao poder publico se eles olhassem com outros olhos para as nossas ferrovias.

 

FGerolomo

 postado: 1/3/2012 08:06:34editar

Fica uma dica onde também possui a Maria Fumaça que sai de Jaguariúna, interior de SP, e vai até Campinas, num passeio histórico e cultural com lindas paisagens.

 

Luiz

 postado: 1/3/2012 08:24:45editar

Por que quando se fala do Paraná é tão comum ele ser menosprezado ou se faz pouco caso? Cadê os detalhes ou ao menos o itinerário da viagem? Esqueceram de falar que é o trecho ferroviário mais belo do país, a estrada de ferro nacional mais fascinante e sofisticada, feita no tempo do Império, com túneis e pontes que são desafios de engenharia, no maior trecho contínuo de mata atlântica do país.

 

Renato

 postado: 1/3/2012 08:33:37editar

A matéria ficou bacana, mas faltou falar um pouco mais sobre as belezas da serra do mar no Paraná.

 

Amilton

 postado: 1/3/2012 08:39:15editar

Faltou citar uma trecho de ferrovia, talvez o mais complicado para ser construido devido as condições geograficas, mas de beleza ímpar: A ESTRADA DE FERRO CURITIBA-PARANAGUÁ.

 

milton garcia

 postado: 1/3/2012 08:42:19editar

Porque não se reativa a linha férrea que existe na Baixada Santista, que passa pela P.Grande, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe, inclusive para os finais de semana prolongados em que as estradas se congestionam rapidamente? Os trilhos
já existem, só o falta o governo de S.Paulo ter vontade de investir em turismo de verdade.

 

Eduardo

 postado: 1/3/2012 08:46:01editar

Gostei da reportagem nao tinha conhecimento total da malha ferroviaria para turismo, vou programar com os amigos um belo passeio, alerto que este projeto deveria ser mais divulgado porque muitas pessoas não conhecem.

 

Nádia

 postado: 1/3/2012 08:48:16editar

Gostaria de comentar que o Paraná compõe a região sul, juntamente com os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

Joao

 postado: 1/3/2012 08:53:33editar

Isso devia estar sendo feito há 20 anos.

 

Nadila

 postado: 1/3/2012 08:55:18editar

Faltou comentar sobre Pranapiacaba que ainda tem o Festival de Inverno.
http://www.cptm.sp.gov.br/e_operacao/exprtur/
[[http://pt.wikipedia.org/wiki/paranapiacaba
|]]

 

Eduardo

 postado: 1/3/2012 08:55:30editar

Quero ver ter igual ao ICE da Alemanha.

 

jorge

 postado: 1/3/2012 08:55:41editar

Esqueceram do Trem do Pantanal...de Campo Grande à Miranda.

 

Rodrigo Lopes

 postado: 1/3/2012 08:59:14editar

Esqueceram de Jaguariúna (SP). O passeio de Maria Fumaça de lá é sensacional.

 

luiz

 postado: 1/3/2012 09:03:48editar

São Paulo - Aparecida nos fins de semana.

 

Silvia

 postado: 1/3/2012 09:21:08editar

E quais são os 32 trens turísticos? Essa informação deveria constar da notícia ou haver um meio de acessar essa lista.

 

Mário

 postado: 1/3/2012 09:39:44editar

Eu, minha esposa, filhos e neta, já fizemos este passeio de Bento Gonçalves até Carlos Barbosa (três vezes) e GOSTAMOS demais. Foi uma diversão saudável, cultural e extremamente bem organizada. Recomendamos!

 

Nadja

 postado: 1/3/2012 09:45:09editar

Acho maravilhoso esses passeios de trem, pena que aqui no Ceara não temos. Bem que poderiam explorar. Tenho certeza do sucesso que ia ser!

 

agepe

 postado: 1/3/2012 09:45:32editar

No Sul de Minas faltou incluir o passeio de Maria Fumaça, de São Lourenço até Soledade de Minas, uma viagem aos tempos antigos num trem movido à lenha, apreciando belas montanhas e as matas ás margens do Rio Verde. São Lourenço é a mais famosa Estância Hidromineral do país e Soledade de Minas, rica em artesanato de palha e doces caseiros. Inesquecível!

 

Davi

 postado: 1/3/2012 09:54:13editar

Faltou citar todos os 32 trens e trajetos com link!

 

slh

 postado: 1/3/2012 10:06:36editar

Acho muito bom, estamos muito atrasados com relação ao uso de trens no Brasil. É um transporte seguro, não poluente, agradável e que deveriam ampliar. Um país do tamanho do Brasil com malha ferroviaria tão pequena é um absurdo. Seria muito bom irmos para o litoral de trem, desafogando assim as estradas. Poderiam fazer uma linha litorânea acompanhando esta costa brasileira maravilhosa. Não só para turismo, mas também para transporte publico.

 

Luiz Carlos Crepaldi Carvalho

 postado: 1/3/2012 10:44:21editar

Na reportagem não se fala do Trem do Pantanal. Ele não foi reativado? Existe algum site para consulta? Tenho interesse de fazer este turismo.

 

Reginaldo Baggio

 postado: 1/3/2012 10:52:05editar

O trem de Campos de Jordão vai até Santo Antonio do Pinhal e não Santo Antonio, que fica no Estado do Espirito Santo.

 

Pedro B. Ribeiro

 postado: 1/3/2012 11:16:51editar

Eu acho que já passou da hora. Estamos com atraso de séculos em relação ao transporte ferroviário.

mundo inteiro sabe que este não é o "transporte do futuro", e sim o transorte que atende no presente milhões de passageiros em todo o mundo.

 

luiz

 postado: 1/3/2012 11:24:55editar

As operadoras só mostram navios e aviões, será que o setor conhece e sabe o que é trem?

 

FRTANCISCO ASSIS DE OLIVEDIRA

 postado: 1/3/2012 11:44:30editar

É ÓTIMO SABER QUE TEM ESSES TRENS PARA OS TURISTAS PASSEAREM.

 

Carolina

 postado: 1/3/2012 11:45:57editar

Gostei do artigo, porém tenho que fazer uma correção. A cidade de Santo Antonio, mencionada no 3 parágrafo deste artigo é, na verdade, Santo Antonio do Pinhal, uma pequena cidade localizada no estado de São Paulo a 15 km de Campos do Jordão e não uma cidade do Rio Grande do Norte como a descrição no link.
Mais informações: Santo Antônio do Pinhal é um município brasileiro do estado de São Paulo, localizado na Região Metropolitana do Vale do Paraíba. Está a uma altitude de 1.080 metros. Sua população estimada em 2004 era de 6.827 habitantes. O clima de Santo Antônio do Pinhal é o tropical de altitude com inverno seco e verão temperado(Fonte: Wikipédia). Santo Antonio do Pinhal é uma pequena cidade turística, com grande variedade de pousadas e restaurantes, conhecida pela prática de atividades de aventura como salto de asa-delta e paraglider.

 

Ary Txay

 postado: 1/3/2012 11:53:10editar

A opção é muito boa, educativa sob o ponto de vista cultural. Mas mais roteiros poderiam ser criados, como o de Parnaíba à Luiz Correira - 15 km - no Piauí.

 

Carlos

 postado: 1/3/2012 12:13:39editar

Esqueceu de Jaguariúna/SP e Campinas.

 

Ordilei Alves

 postado: 1/3/2012 12:14:05editar

Por decisões erradas no passado cortaram o trem da vida do brasileiro. Hoje ele existe apenas nos corredores de exportação das consecionárias; nas superlotadas e desconfortáveis composições que trafegam nas principais regiões metropolitanas; e no saudosismo destas vias turísticas. O Brasil precisa voltar para os trilhos e assim diminuir a poluição, o consumo de combustível e os milhares de casos de mutilações e mortes que anualmente aumentam as estatísticas, sem que "os senhores do poder" assumam qualquer responsabilidade.

 

JAIR

 postado: 1/3/2012 13:08:47editar

Viajar de trem é 99% mais seguro que pegar essas estradas esburacadas. Deveriam ter muito mais trens, mas a indústria petrolífera brasileira não deixa isso acontecer!

 

caroliny

 postado: 1/3/2012 13:27:44editar

Desde quando o trem do forró voltou a operar de Recife para Caruaru? Faz mais de 15 anos que ele não existe!

 

Luiz Guilherme

 postado: 1/3/2012 13:36:10editar

Sim, o Paraná também tem um trem que não é de luxo, mas custa caro. Viajar pela Serra do Mar nos vagões da Serra Verde Express é uma boa opção... São mais de 100 KM, 4 horas e pouco, mais de 9 túneis, um viaduto preso a rocha...

 

Wilson Junior

 postado: 1/3/2012 13:49:51editar

Muito interessante esta informação. Gostaria de deixar uma sugestão: a título de maior informação que fosse criado um livro com todas as informações das linhas de trem de cada estado ou município. E ele deveria ser divulgado em todo o Brasil. Precisamos preservar a qualquer custo estes patrimônios históricos.

 

Frank Rinaldo de Almeida

 postado: 1/3/2012 13:53:52editar

Trem não é somente para turismo, deveria de ser tratado como prioridade. Mas em um país onde as montadoras mandam e desmandam e não existiu governo nacional até hoje capaz de reduzir a ganância delas, temos que ver matéria como essa e achar "lindo". É ridículo, isso sim. Um país desta dimensão não ter uma rede ferroviária decente. Quantas mortes, quantos caminhões poluindo e matando, rodovias caras, pedágios absurdos, tudo para manter não o custo Brasil mas a "corrupção Brasil". Essa é minha opinião.

 

Guy Marsyl

 postado: 1/3/2012 13:56:08editar

Na Europa viaja-se de trem a 400 Km/h, no Brasil, viaja-se de trem a 10/20 Km/h. Não sejam cínicos em fazerem comparações.

 

Luis Carlos

 postado: 1/3/2012 14:07:15editar

Faltou a Maria Fumaça de Campinas à Jaguariúna! É um belo passeio com estações muito bem conservadas e lindas paisagens.

 

Carlos Milanezi

 postado: 1/3/2012 14:09:24editar

Só esqueceram de mencionar o Trem do Pantanal.

 

Ribeiro

 postado: 1/3/2012 14:27:23editar

Magnífico, alías acho que o sistema ferroviário no Brasil que acompanhou o desenvolvimento da história do nosso país nunca deveria ter sido desativado. Poderia ter ficado como mais uma alternativa de transporte para a população. Na cidade em que moro Mococa chamada inclusive região da Mogiana a linha férrea foi totalmente desativada na decada de 1960 não restando nem mesmo os caminhos percorridos pelo trem de ferro, é um desconserto para História. Quem sabe no futuro essas linhas são reativadas novamente.

 

Marco

 postado: 1/3/2012 14:29:27editar

E a relação dos trens?

 

Silvio

 postado: 1/3/2012 14:48:12editar

Esqueceram do trem do forró que vai de Campina Grande (PB) à Galante.

 

IGOR ROMARIZ

 postado: 1/3/2012 14:57:10editar

Deveríamos ter a chance de atravessar este país sobre trilhos, de norte a sul, leste a oeste. Isso geraria milhares de empregos e bilhões de reais em todo o país. Min. do turismo e dos Transportes: acordem!

 

GERALDO TADEU FERREIRA

 postado: 1/3/2012 14:58:28editar

Informo que aqui no sul de Minas Gerais, na cidade de São Lourenço, Estância Hidromineral, está em funcionamento há varios anos um trem, tipo maria fumaça, que vai de São Lourenço à cidade de Soledade de Minas.

 

Marcia Caires

 postado: 6/11/2012 21:22:40editar

Quais são os 32 trens? Cidades e telefones?

Por favor, aguardo resposta

Olá Márcia,

Para mais informações, favor entrar em contato com o Ministério do Turismo.

Atenciosamente,

Equipe EcoViagem

tonny fernandes

 postado: 27/11/2012 16:15:52editar

Eu vejo no projeto de trens turisticos uma grande sacada do governo e de empresarios pra fortalecer esse meio. Não podem esquecer os trens de passgeiros que é a minha grande paixão. Espero que os projetos que estão ai vinguem pra que o país ande com os proprios pés.

 

Vagner

 postado: 4/1/2013 11:34:43editar

Sou aposentado e não pago mais passagens. Esses trens dos diversos roteiros apresentados obedecem a essa lei? Como posso receber um roteiro que me leve de Sudeste/Nordeste, Norte/Centro e Oeste/Sul de trem?

 

Ezequiel

 postado: 11/8/2013 10:14:00editar

Foi um choque para mim, quando viajando de carro às cidades de minha infância (Marilia, Oswaldo Cruz, Pompeia), descobrir que o trem da Alta Paulista havia sido desativado...trilhos no meio do mato, estações em estado de ruína...Perdemos o passado para um futuro "poluído". Até hoje guardo uma foto dos primeiros dias dos trens na cidade de Oswaldo Cruz. Saudade, muita saudade!

 

 

Veja também

Passeio de bonde mostra patrimônio histórico na área central de Santos (SP)Trem turístico em Piranhas

 

editar    editar    editar    0 visitas    49 comentários