Estação Ferroviária quase pronta para ativação do Trem do Pantanal

A volta do trem de passageiros reforça o potencial turístico do Estado, impulsionando a economia de vários municípios.

  
  
As obras de pavimentação da via que dá acesso à estação ferroviária do Indubrasil e a revitalização do prédio serão finalizadas até o final deste mês

O governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Obras, conclui até o dia 25 deste mês a pavimentação da via que dá acesso à estação ferroviária do Indubrasil e a revitalização do prédio. A execução desse projeto foi fundamental para a reativação do Trem do Pantanal, cuja primeira viagem está programada para o dia 8 de maio, contando com a presença do presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva. A volta do trem de passageiros reforça o potencial turístico do Estado, impulsionando a economia de vários municípios.

Os trabalhos tiveram início em fevereiro deste ano. Em apenas dois meses os operários trabalharam em ritmo acelerado para garantir a pavimentação do pátio central, construção de uma avenida de pista dupla, ligando a estação até a rodovia BR-262, a reforma do terminal de passageiros e o paisagismo do local. No total estão sendo investidos cerca de R$ 1,6 milhão. Para garantir a pavimentação da avenida de acesso, será demolido um posto fiscal da receita estadual, atualmente sem utilização pública.

Além desta obra, em Campo Grande, o governo do Estado também está concluindo obras nas quatro estações ferroviárias que integrarão o trajeto do Trem do Pantanal: Piraputanga, Aquidauana, Taunay e Miranda, cujos prédios foram restaurados e o locais, que estavam totalmente abandonados, foram urbanizados. No projeto, foram respeitadas todas as normas dos órgãos de preservação histórica visando conservar o patrimônio arquitetônico original.

A reativação do trem como atração turística é um projeto de parceria de prefeituras, do Estado e da União. “Após um bom tempo de contingência financeira, esta é a hora de colocar em prática um projeto que transforma e profissionaliza ainda mais o turismo de Mato Grosso do Sul”, comentou o secretário de Governo, Osmar Jerônymo, em recente visita à estação.

A estação ferroviária do Indubrasil, substitui a antiga, localizada no centro de Campo Grande, que foi inaugurada em 1936, sob responsabilidade da empresa Noroeste do Brasil (NOB). Após a privatização, no início da década de 90, o transporte de passageiros foi suspenso, ficando desativado até hoje.

O trem deixou de circular pelo centro de Campo Grande, quando o então prefeito André Puccinelli concluiu o contorno ferroviário Na época, a Prefeitura de Campo Grande fez permuta, ficando de posse de terreno e patrimônio predial da antiga RFFSA (Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima) e, em troca, construiu o terminal de transbordo no Indubrasil.

Audiência pública

Amanhã (16), atendendo solicitação do deputado estadual Antonio Carlos Arroyo, acontece audiência pública na Assembléia Legislativa, para detalhar todo o projeto envolvendo o Trem do Pantanal. O objetivo é discutir sua importância para o desenvolvimento econômico do Estado, desde a geração de emprego, renda e ocupação para as comunidades da região; sensibilização para preservação do meio ambiente; implementação de novos roteiros para a prática de ecoturismo, culinária regional, turismo em espaço rural, pesca esportiva e seus segmentos; além de aumentar o fluxo de turistas para os municípios/distritos da região.

Estarão presentes o secretário de Obras Públicas e Transportes, Edson Giroto; Nilde Brun, presidente da Fundação de Turismo; o diretor comercial da concessionária Serra Verde Express, Adonai Aires Filho; Ivana Spirt, da ALL (América Latina Logística), representantes sindicais de bares e restaurantes e da rede hoteleira do Estado, acadêmicos de Turismo e Administração, prefeitos e vereadores dos municípios que estão no trajeto do Trem do Pantanal

Estrutura

A BWT Operadora, responsável pela comercialização do Pantanal Express, nome oficial do Trem do Pantanal, já está comercializando as passagens para o passeio turístico, cuja primeira viagem acontece dia 9 de maio. No dia anterior, será realizada a viagem oficial, envolvendo somente autoridades, entre eles o presidente Luis Inácio Lula da Silva e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo.

De acordo com a assessoria de comunicação da Pantanal Express, além de turistas, na primeira viagem oficial haverá a participação de convidados, como jornalistas e representantes do setor de turismo. A intenção é apresentar o projeto para a população, trade turístico e imprensa nacional e internacional.

O trem será composto por nove vagões, divididos em categorias econômica, turística, executiva, além de restaurante e bagageiro, com capacidade para aproximadamente 400 pessoas. Na primeira fase, o trem percorrerá o trecho Campo Grande/Aquidauana/Miranda. São 220 quilômetros em cada sentido, percorridos numa velocidade de 30 quilômetros por hora, com duração de aproximadamente sete horas no roteiro. Em 2010, o trem chegará até Corumbá.

As saídas acontecerão todos os sábados, às 7h30, da estação Indubrasil e a volta, aos domingos às 8h30, de Miranda. O preço da passagem, conforme a BWT, será de R$ 39,00 até R$ 126,00, mas para moradores da região está previsto um desconto na tarifa cobrada. Nas categorias turística e executiva, haverá guia turístico e também serviço de bordo. O turista poderá conhecer a história de Mato Grosso do Sul e até mesmo da ferrovia.

Fonte: Governo do Mato Grosso do Sul

  
  

Publicado por em

Jose marcio hilario dos santos

Jose marcio hilario dos santos

21/04/2012 20:44:46
Deus me abencoou e durante dez anos fui funcionario da Rede Etres na FEPASA, fico contente em ver que alguém toma uma iniciativa tão importante quanto esta. Creio que vários outros grupos vão empunhar essa bandeira.

Edvaldo chips

Edvaldo chips

19/02/2010 09:07:20
O Brasil tem tantos lugares lindos para serem conhecidos, por que não ter trens de qualidade? Há muitas pessoas como eu que odeia aviões. Amei esta nova alternativa, mas tem que ter uma linha que ligue o país todo. Olhem os cruzeiros do Brasil, sempre lotados, por que não as nossas estações?

Rosa de Assis

Rosa de Assis

12/10/2009 11:46:00
É incrível!

Sou Aquidauanence, mas atualmente moro em São Bernardo do Campo,SP. Será ótimo retornar para minha cidade natal de trem e lembrar do passado. Parabéns!!!!!!
Rosa.

Daniel

Daniel

30/04/2009 14:10:09
ok eu amei essa ideia, pois vou conhecer cidades que nao conheço com um transporte muuuuuuito mais emocionante e gratificante

Daniel

Daniel

30/04/2009 14:06:29
Acho isso muito bom, pois iremos matar a saudade de andar no trem do Pantanal, logo que começar eu ja vou comprar a passagem e conhecer cidades pelos transporte, muuuuuuuito melhor, valeu

Cremildo freire monteiro

Cremildo freire monteiro

24/04/2009 00:02:52
Não podia ser melhor esta manchete, pois eu sou do Espirito Santo e estou desejoso de fazer este belo passeio, mas quero saber como é a segurança durante o trajeto, mais ainda digo "parabens pela iniciativa", pois outros lugares também com potencial turistico como este, onde existe ferrovias paradas precisa de gente como vocês, de iniciativas maravilhosas. Estou querendo ir ao Pantanal num futuro bem proximo e quero conhecer também a transpantaneira, quais os perigos? Mande me informação turistica do Pantanal caso puder preferencia rural.