No apito dos trens

GT de turismo ferroviário pretende fomentar o turismo ferroviário no país

  
  

Os trens turísticos e culturais agregam valor aos destinos brasileiros, contribuindo para a preservação da memória ferroviária e se transformando em atrativos e produtos turísticos das regiões. Para promover a valorização desses patrimônios, o Grupo de Trabalho de Turismo Ferroviário está elaborando uma cartilha explicativa e um formulário para a facilitar e agilizar a apresentação de projetos de trens turísticos no Brasil.

O trabalho é realizado em conjunto por representantes do Ministério do Turismo (MTur), Ministério dos Transportes (MT), Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN), Departamento Nacional de Infraestrutura de Trans portes (DNIT), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Secretaria do Patrimônio da União (SPU).

O GT se reuniu ontem (21), para acertar detalhes da ação conjunta. “O grupo é importante para termos uma análise mais ampla sobre a viabilidade dos projetos, além de dar mais agilidade”, explica Ricardo Moesch, diretor de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico do MTur.

“Esse projeto dará destinação, uso e atividade aos patrimônios ferroviários, evitando a depredação e a degradação desses bens”, disse o representante do Ministério dos Transportes no grupo de trabalho, Paulo Barreiros.

No dia 15 de fevereiro, foi publicada a Portaria nº 18 que vai colaborar para o desenvolvimento de uma política de fomento ao turismo ferroviário no Brasil. José Cavalcanti, representante do Iphan no GT, ressalta a importância do resgate desses patrimônios. “A melhor maneira de preservar um patrimônio é utilizando-o. Além disso, estimulando a operação das linhas férreas, é atendida a legislação acerca da Memória Ferroviária, retomando simbolismos, elementos e significados culturais dos trens”, disse ele.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em

JOSÉ MARIA COSME

JOSÉ MARIA COSME

14/01/2011 17:51:36
Seria muito bom para ser verdade, pois até hoje, JANEIRO DE 2011, NÃO TIVE NOTÍCIAS QUE ESTE TREM JÁ TENHA PARTIDO. FUI FERROVIÁRIO POR 22 ANOS E JÁ ME ACOSTUMEI COM AS MENTIRAS DESTES GONVERNANTES EM TERMOS DE FERROVIA, POIS OS MESMOS SÓ BENEFICIAM O TRANSPORTE RODOVIÁRIO, ELES É QUE OS PROMOVEM E OS LEVAM AO PLANALTO.

MARCIO APARICIO CORREA E CUNHA

MARCIO APARICIO CORREA E CUNHA

21/06/2010 18:15:53
A assessoria de comunicação ou logística da CVRD (Ou vale), no Japão (círculo de fogo do pacífico), as ferrovias viram um "8" com terremotos e outras atividades sísmicas (...eles acertam e vida que segue) e aqui estamos em meio a uma placa tectônica (estáveis) e a nossa malha de transportes (pessoas, escoamento da produção, etc), em sua maioria (e muito), é rodoviária -equívoco ou "solução" a quem interessa (ind. automobilística, auto peças, pneus, etc, etc....).....Entendo, mas não concordo em nada com essa matriz (rodoviária)....Fomentar o transporte ferroviário neste brasilzão de Deus, é Geo-estratégico em se tratando de malha viária....Parabéns Vale, mas podemos mais - em sala de aula, trabalho esta consciencia com os alunos e parabenizo à Vale, mas podemos mais!

Márcio Aparício Corrêa e Cunha

Márcio Aparício Corrêa e Cunha

25/05/2010 04:50:49
De suma importância o fomento do turismo ferroviário em nosso país e vou além, penso enquanto Geógrafo, que nossa matriz de transporte deveria ser a ferroviária em detrimento do transporte rodoviário.
Em um país de relevo mediano arqueozóico/paleozóico, praticamente não temos atividades sísmicas, logo o transporte rodoviário em nosso território não se justifica, salvo para beneficiar holdings e etc!

att;
Prof Márcio aparício Corrêa e Cunha