Trem do Pantanal emociona passageiros e moradores das cidades por onde passa

A viagem no Trem do Pantanal foi marcada por saudosismo de várias pessoas que nasceram em Mato Grosso do Sul e utilizaram o trem de passageiros, entre Corumbá a Bauru.

  
  

A viagem no Trem do Pantanal, que reuniu representantes do trade turístico e mais de 50 jornalistas do Estado e dos principais veículos de imprensa do Brasil, foi marcada por saudosismo de várias pessoas que nasceram em Mato Grosso do Sul e utilizaram o trem de passageiros, entre Corumbá a Bauru. Saindo de Campo Grande, por volta das 8 horas, ele chegou em Miranda, no início da noite, sendo recebido por milhares de habitantes do município.

Foi uma festa cívica histórica e emocionante, a ponto de fazer um dos proprietários da empresa Serra Verde Express, Adonai Aires Arruda Filho, 31 anos, durante o desembarque, ficar solitário num dos vagões, chorando como uma criança. “Eu não acredito nisso cara”, comentou, ao informar que não esperava tanta gente recepcionando a chegada do trem.

Na estação ferroviária do Indubrasil, em Campo Grande, o governador André Puccinelli acompanhou o embarque dos passageiros. Durante coletiva com a imprensa ele garantiu que o Trem do Pantanal, no segundo semestre de 2010, já estará trafegando até Corumbá, propiciando ao turista oportunidade de voltar a admirar as belezas da fauna e flora do Pantanal. “O Trem do Pantanal é uma alavanca da cultura e da memória de Mato Grosso do Sul”, afirmou.

Um dos passageiros que fez questão de participar desta viagem foi o ex-ferroviário da antiga Sorocabana, fundador da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF), criada em 1977. “É uma grande alegria em participar desse evento porque na realidade todas as nossas ferrovias foram sucateadas e houve uma grande decadência. Eu entrei na ferrovia em 55, acompanhei o auge e posteriormente a decadência. Então, hoje vendo esse momento é muito importante ver a reativação de um trem de passageiros”, afirma. Ele acredita que com sua ativação ocorrerá um processo natural por meio da cobrança da própria população na ativação do trem de passageiros até Bauru. A ABPG realiza passeio turístico com a antiga Maria Fumaça, envolvendo o trajeto Campinas/Jaguariúna.

Outro passageiro que não quis perder esse momento histórico foi o prefeito de Miranda, Neder Afonso Vodovato, 55 anos. “Sou passageiro do Trem do Pantanal desde antes de nascer. Meus pais moravam ao longo da ferrovia, na estação de Agachi. Estava na barriga da minha mãe, quando ela subiu no trem e foi realizar o parto em Aquidauana”, ressalta.

Sobre as histórias engraçadas que lembra do trem, o prefeito conta um fato de quando tinha aproximadamente 5 anos de idade. “Eu gostava muito de pegar o trem para beber guaraná. Junto com minha mãe no trem não via a hora. Daí passou o garçon servindo café numa xícara. Ele ofereceu para nós, acabei esperneando e meti o pé na bandeja. Minha mãe lógico pagou o café e deu umas boas palmadas em mim, mas depois consegui tomar guaraná”, conta.

Para o prefeito de Miranda, foi uma viagem de alegria e oportunidade de matar muitas saudades. Neder aposta que o Trem do Pantanal simboliza a grande arrancada do turismo da região. “O setor hoteleiro e as pousadas já estão trabalhando em cima dos pacotes, já estamos realizando cursos por meio do Sebrae. O pessoal está preparado para receber o turista, com guias que falam inglês”, informou.

Emoção

Ao ouvir o apito do trem chegando em Aquidauana, Dona Ester Correa, 68 anos, que preparava o almoço para receber os convidados especiais, não conseguiu esconder a emoção e acabou chorando, voltando aos tempos de quando ainda era apenas uma menina.

“Fui morar em Bauru e uma vez por ano pegava o trem para passar as férias com minha família. Aos 17 anos conheci meu marido, casamos e voltei a residir em Aquidauana”, lembra. Ela firma que a volta do Trem do Pantanal é a oportunidade de unir as famílias em viagens inesquecíveis. Ester conta com orgulho que no próximo ano comemora 50 anos de casamento com o dentista pioneiro da cidade, Luiz Alves Correa, 55 anos, informando que boa parte da vida do casal esteve ligada a história dos trilhos.

O local onde foi servido o almoço estava miticulosamente preparado pelos funcionários da Prefeitutura de Aquidauana, com direito a carroça, cavalos e peões, simulando como é a vida nas fazendas do Pantanal. No local, Adonai Aires Arruda (o pai) lembrou que o turismo do Brasil recebe em média 5,5 milhões de turistas, enquanto que somente a Catedral de Notre-Dame, em Paris, recebe o dobro disso. Ele acredita que investimentos como trem do pantanal darão condições do Brasil superar essa meta. “Com essa estrutura e paisagem magnífica acredito que temos condições de alcançar esse número”.

Planos de viagem

Geferson Jara, 22 anos e sua noiva Érica Gomes, 19 anos, fizeram questão de aguardar na estação de Miranda a chegada do trem. “Acho muito importante voltar essa tradição. Tinha muita curiosidade em viajar de trem e agora eu e minha noiva pretendemos realizar esse sonho. Espero que o turista conheça nossa região com aquela visão de preservação do meio ambiente”, afirma.

Os adolescentes indígenas terenas Romana Faustino Correa, 13 anos e Zedequis Querino da Silva, 16 anos, presentes na estação também pretendem fazer a viagem que seus pais realizaram por vários anos. Da mesma forma, almejam Emili Ribeiro Rodrigues, 14 anos e sua amiga Jéssica de Almeida da Silva, 13 anos. Era tanta a curiosidade das duas amigas que elas faziam questão de passar pelo trem, tocando nos vidros e lataria, admirando a mais nova atração de Miranda, como duas garotinhas que haviam acabado de ganhar um brinquedo. “Com certeza faremos essa viagem de trem”, afirmam.

O ferroviário José Rodrigues Trindade, 50 anos, também fez questão de estar entre o público presente que recepcionou o Trem do Pantanal, em Miranda. Ele trabalhou na estação como manobrista, sempre acompanhado de suas inseparáveis bandeirinhas amarela e vermelha, que serviam de sinal para o maquinista entrar na estação. O sonho dele é viajar de trem quando já estiver indo para Corumbá, para apreciar a beleza da fauna e flora pantaneira. Ele pretende levar sua esposa Luzilene, 36 anos e seus três filhos Jéssica, 17 anos; Wilgner, 14 anos e Josilane, de 12 anos.

Fonte: Governo do Mato Grosso do Sul

  
  

Publicado por em

JOSÉ MENEZES DE MATOS

JOSÉ MENEZES DE MATOS

01/07/2011 22:02:05
ASSISTI NA TV, ACHEI FANTÁSTICO, SE DER UM DIA AINDA VOU LÁ. VIAJEI MUITO NA ESTRADA DE FERRO SANTOS A JUNDIAI, DEPOIS DESATIVARAM O TREM, E ACABOU O DIVERTIMENTO, MAS ESSE TREM DE CAMPO GRANDE À MIRANDA É FANTASTICO.

JOSÉ MENEZES DE MATOS

JOSÉ MENEZES DE MATOS

01/07/2011 21:57:37
ASSISTI NA TV, ACHEI FANTÁSTICO, SE DER UM DIA AINDA VOU LÁ.

Tina

Tina

05/03/2011 08:16:06
Parabéns a essa iniciativa. Também sou apaixonada por trens.Quando criança viajava com meus pais entre Rio e Belo Horizonte, e ficava encantada com as paisagens, com o trem. Depois Rio-São Paulo...Pena que desativaram esses percursos...Sempre que posso viajo com meus filhos de trem. São joão del Rei-Tiradentes, Corumbá-Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, Serra Gaúcha,etc..É uma bela forma de conhecer um país e sua cultura. E nosso país é lindo!!! Recentemente, eu e meu marido viajamos de trem de San Diego até Los Angeles, na California, pela Antrak. Maravilhoso!!! Há se tivéssemos trens daquele aquí...Nosso país podería ser cortado de norte a sul por linhas de trens...Garanto que não faltaría passageiro. Falta iniciativa por parte dos políticos...Aliás, a gente fica triste e desanimado quando ve o abandono que estão nossas ferrovias, quando lembra os pedaços de trens desativados e destroçados pelo Brasil afora... Será que a D.Dilma não andou de trem quando era criança? Duvido muito...Trem do Pantanal, nos espere em Julho (Será que estará funcionando até lá?). Tina-Brasília-DF

Vanderlei Ciro de Sousa

Vanderlei Ciro de Sousa

17/10/2010 21:30:29
viajei muito neste trem no trecho de Miranda ao km 1250. Maravilha. Bom saber que nem tudo está perdido, o brasileiro ainda sabe preservar a sua memória. Parabens ao povo sulmatogrossense pelo bom senso. Na minha cidade que tinha até seis trens diários da Leopoldina hoje nem sombra do passado. Vanderlei ciro de Sousa, Carangola MG

Manoel de jesus freitas

Manoel de jesus freitas

26/10/2009 14:15:34
Sou apaixonado por trens, fui passageiro nos anos 60 , das estradas Mogiana, Sorocabana, Alta Paulista, Rede Viação Paraná, Santa Catarina etc.etc. Estou com 62 anos e estou na esperança de ainda viver e voltar a viajar de trem pelo Brasil e Argentina total totalmente, parabens pelo empreendimento. Manoel de Jesus Freitas Umuarama Paraná

Luiz Antonio Vieira Pinto

Luiz Antonio Vieira Pinto

27/07/2009 20:44:45
É simplesmente algo imaginario, que se realiza, graças a Deus, pois recentemente estive em Curitiba com minha familia para a realização do sonho de andar de trem. E não foi por menos "Curitiba/Morretes" fantastico. E no trem, ficamos sabendo do retorno "Campo Grande/Miranda",
adivinha...já estamos programando para Dezembro.
E que Deus abencoe os idealizadores desse retorno, pois em meu estado "São Paulo", não há, nenhum politico honesto capaz de levantar a "bandeira do trem", pois so temos "porcos" que entregam bancos para bancos como o caso da Nossa Caixa Nosso Banco para o Banco do Brasil, por isso, sem conhece-los desejo-lhes os mais honrados votos de prosperidade nessa empreitada ate Corumba, e que Deus derrame as mais sagradas bençãos, e por favor terminem logo essa nova etapa pois estmos "babando" de vontade de ir ate Corumba de trem.

att. Luiz Antonio.