Guia de Saúde orienta viajantes a evitar problemas de saúde a bordo de cruzeiros

Entre os cuidados a serem adotados desde o planejamento da viagem estão: buscar a orientação da medicina do viajante; colocar a vacinação em dia; realizar alguns check-ups e separar medicamentos e documentos que podem ser levados na bagagem

  
  
Perguntas que você não pode deixar de fazer ao seu agente de viagem, como prevenir os principais riscos associados e como proceder no caso de surtos de doenças são outros tópicos

O Guia de Saúde – Viagens de Navio foi elaborado pelo Centro Brasileiro de Medicina do Viajante (CBMEVi) visando auxiliar, principalmente, os marinheiros de primeira viagem. Assim como a edição original, o guia traduzido para os outros idiomas poderá ser encontrado e baixado gratuitamente no site www.cbmevi.com.br.

Entre os cuidados a serem adotados desde o planejamento da viagem estão: buscar a orientação da medicina do viajante; colocar a vacinação em dia; realizar alguns check-ups e separar medicamentos e documentos que podem (ou devem) ser levados na bagagem. Perguntas que você não pode deixar de fazer ao seu agente de viagem, como prevenir os principais riscos associados e como proceder no caso de surtos de doenças são outros tópicos.

“Na consulta da medicina de viagem, o médico vai analisar as condições de saúde e os riscos conforme o(s) destino(s), época do ano, clima, altitude e ocorrência de surtos ou doenças endêmicas nos locais a serem visitados. O profissional também vai avaliar os riscos associados às atividades que o viajante pretende realizar (caminhadas por ilhas, mergulhos, entre outras)”, destaca Flavia Bravo, coautora da publicação, médica do CBMEVi e membro da Sociedade Internacional de Medicina de Viagem (ISTM, na sigla em inglês).

A consulta para evitar danos à saúde durante o cruzeiro deve ocorrer com bastante antecedência, de preferência semanas ou meses antes de embarcar, no mínimo até 15 dias antes do embarque. Esse é o tempo mínimo necessário para que possam ser realizados exames complementares, se for o caso, e sejam adotadas as medidas de prevenção. “Para turistas que devem ser imunizados, os níveis de anticorpos desejados são alcançados, geralmente, após dez dias após a aplicação da vacina”, explica Isabella Ballalai, autora e coordenadora médica do guia. Além disso, algumas vacinas requerem mais de uma dose e é necessário prever essa situação.

Diarreia em cruzeiro
Como já mencionado, as infecções gastrointestinais não são raras em navios. Surtos de norovírus, um dos principais responsáveis pela diarreia a bordo, representam um desafio para a saúde pública e as navegações. O norovírus está associado quase sempre à negligência em relação aos cuidados básicos de higiene. Além da diarreia, a pessoa infectada pode ter febre, dor abdominal e forte mal-estar.

À parte do norovírus, outros agentes infecciosos, como a Escherichia coli e a Salmonella, também podem causar diarreia. Altamente contagiosos, eles são capazes de promover surtos em cruzeiros através da simples ingestão de água ou alimentos contaminados pelos passageiros. “Por isso, medidas eficientes de higiene das mãos, por exemplo, valem ouro”, ensina Flavia. A principal complicação dos casos de diarreia do viajante costuma ser a desidratação, que afeta, de forma mais grave, crianças, idosos e portadores de doenças crônicas.
A legionelose é um risco associado a piscinas e banheiras de hidromassagem. Apesar do nome pouco conhecido, a bactéria causa essa doença que é capaz de levar à pneumonia. Por esse motivo, o Guia de Saúde – Viagens de Navio explica os sintomas e as formas de prevenção.

“A meningite meningocócica, também causada por bactéria, é outro exemplo de doença que pode gerar surtos entre viajantes em navios. Portanto, é essencial estar com a vacinação em dia”, lembra Isabella.

No balanço do mar
Problemas como mal-estar, enjoo e dor de cabeça, normalmente causados pelo balanço da embarcação, são frequentes. Por isso, o Guia de Saúde – Viagens de Navio dedica atenção ao tema. Medicações para aliviar o desconforto da náusea, como anti-histamínicos, por exemplo, podem causar efeitos secundários graves em crianças. Mulheres grávidas também precisam de cuidados especiais.

Turista responsável é turista consciente
O Guia de Saúde – Viagens de navio ensina ao turista quais são suas responsabilidades enquanto pessoa embarcada para garantir a saúde dos demais passageiros e da tripulação do cruzeiro. Isabella ressalta que o viajante consciente dos cuidados consigo contribui para uma viagem mais segura e saudável de forma geral. Para completar, o guia ainda traz informações sobre a documentação necessária para viajantes de navios e orientações especiais para pessoas acompanhadas de crianças pequenas. O anexo traz indicações das principais vacinas recomendadas para os seis continentes.

Fonte: Embarque na Viagem

  
  

Publicado por em

Givaldo Duarte Omena

Givaldo Duarte Omena

12/01/2013 20:25:31
Eu fiz uma viagem e tive uma pequena indisposição, aconselho a todos que for fazer uma viajem, que sigam a dica, do Guia de Saúde que orienta o viajante.