Ministério do Turismo e prefeitura do Rio estabelecem parceria para revitalizar zona portuária

O ministro do Turismo, Luiz Barretto, citou alguns países que incrementaram o turismo com a revitalização de suas zonas portuárias.

  
  

O ministério do Turismo e a prefeitura do Rio de Janeiro lançaram hoje (12) o Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) voltado para a região portuária da capital fluminense, que inclui o Pólo Turístico do Rio Antigo – Gamboa, Santo Cristo, Praça Mauá, Lapa, Saúde e Santa Tereza. O projeto terá US$ 180 milhões em cinco anos, com 50% financiado pelo governo federal e os 50% restantes pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Dentre as obras previstas, estão a construção da Pinacoteca do Rio de Janeiro, na Praça Mauá, o Museu do Amanhã, nos armazéns 5 e 6 do Cais do Porto - que terá atividades como foco na sustentabilidade e nas conseqüências da relação entre o homem e a natureza- de galpões culturais na Gamboa e a revitalização do Patrimônio Histórico do Morro da Conceição.

O prefeito da cidade, Eduardo Paes, anunciou que as licitações das obras começam em junho e serão anunciadas na presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo ele, na ocasião, a iniciativa privada será convidada a participar da segunda fase do projeto. “Essa segunda etapa contará com investimentos da ordem de R$ 3 bilhões de reais, ao longo de muitos anos, em parceria com a iniciativa privada, que terá muito a ganhar investindo nessa área que é a de maior potencial da cidade”, afirmou.

O ministro do Turismo, Luiz Barretto, citou alguns países que incrementaram o turismo com a revitalização de suas zonas portuárias. “Lugares como Lisboa, Barcelona e Buenos Aires revigoraram a cidade após a revitalização de seus portos, não apenas no receptivo dos navios, mas com bares e restaurantes. E nós faremos o mesmo aqui, também com criação de museus, revitalização de prédios históricos importantes nessa parte da cidade, que hoje se encontra há muitos anos degradada”.

O governo federal já liberou R$ 850 mil para financiar a área de planejamento inicial. O governo estadual já havia assinado, no ano passado, convênio inserindo o estado do Rio no Prodetur, com previsão de investimentos de US$178 milhões. Um ano depois da aprovação do projeto, integrantes da Comissão de Turismo da Assembléia Legislativa (Alerj) querem mais detalhes sobre o cronograma de investimentos da Secretaria Estadual de Turismo.

O ministro explicou que esses financiamentos internacionais requerem um longo procedimento e que o BID ainda está prestes a aprovar a carta consulta do estado. Segundo ele, o governo federal já adiantou sua contrapartida, que é de 40%. Baretto disse também que um conjunto de obras já está em andamento.

“Por exemplo, as estradas Paraty – Cunha e a que liga o distrito Capelinha à vila de Visconde de Mauá, que são ligações importantes para o turismo do Rio. E já iniciamos, no bairro do Leblon, o Parque da Bossa Nova.”

O porto do Rio de Janeiro recebe 500 mil turistas por ano, segundo dados do Instituto Pereira Passos (IPP), que também apontam que o setor de turismo na cidade cresceu 10% em 2007 e, em 2008, recebeu 32% de todos os turistas que viajaram pelo Brasil.

O Prodetur foi criado em 2008, depois de memorando de entendimento assinado entre o governo federal e o BID, para linha de crédito de US$ 1 bilhão, destinada a estados e a municípios com mais de 1 milhão de habitantes. O programa já conta com a adesão de 13 estados.

Fonte: Agência Brasil
Esta notícia está licenciada sob Licença Creative Commons Atribuição 2.5

  
  

Publicado por em