Movimentação de navios no carnaval carioca é recorde

‘Carnaval Marítimo’ representa impacto de US$ 13,6 milhões na economia do município; taxa de ocupação dos hotéis é de 90% e pode chegar a 93% por conta da previsão de bom tempo

  
  

O Píer Mauá, Terminal Marítimo de Passageiros do Rio, teve uma movimentação intensa neste carnaval. No período iniciado na sexta-feira (20) e que prossegue até o próximo sábado (28), quando acontece o desfile das escolas campeãs, o Rio de Janeiro recebe mais de 46 mil turistas. Onze navios estão atracados na cidade. Este número recorde significa um impacto importante para a economia do município, um valor estimado em US$ 13,6 milhões em apenas uma semana. No carnaval passado foram 39 mil turistas, que deixaram na cidade cerca de US$ 11,7 milhões.

"Na atividade de cruzeiros marítimos, apesar das notícias preocupantes da economia internacional, continuamos navegando de vento em popa. No Píer Mauá não existe crise”, comemora o diretor de Operações, Américo Rocha. Ele informa que o porto recebeu em 2008 investimentos de cerca de R$ 20 milhões para obras de melhoria do complexo, que é muito movimentado durante todo o ano.

O Pier Mauá é próximo do centro cultural, histórico e financeiro do principal cartão postal do Brasil, a cidade do Rio de Janeiro. Fica a cinco minutos do Aeroporto Santos Dumont, a 15 minutos do Aeroporto Internacional Tom Jobim e a menos de meia hora dos principais pontos de interesse turístico dos passageiros e tripulação dos navios, como o Corcovado, o Pão de Açúcar, o Estádio do Maracanã e as praias de Copacabana, Ipanema e Leblon.

A rede hoteleira carioca também apresenta números positivos. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio (ABIH-RJ) informa que a taxa de ocupação dos quartos alcançou 90%, confirmando as previsões da instituição. Este percentual é superior ao de 2008, que foi de 86% na capital. No interior, a média está em 84%, apenas um ponto percentual abaixo do carnaval passado.

Para o presidente da ABIH-RJ, Alfredo Lopes, o percentual da capital ainda pode chegar a 93% por causa da previsão de bom tempo para este período de festa. “Com o clima favorável, ainda há turistas de última hora que chegam direto nos hotéis, sem reserva antecipada. A demanda mostra que em matéria de turismo, o Rio de Janeiro é ‘inoxidável’ “, afirma.

A alta em relação ao ano passado é atribuída ao aumento da quantidade de turistas brasileiros, que deixaram de viajar para o exterior por causa da crise. A ABIH-RJ estima que a quantidade de turistas estrangeiros poderá cair cerca de 20%.

“Este é um carnaval de última hora, como é característico do brasileiro”, brinca o presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares município do Rio de Janeiro (SindRio), Alexandre Sampaio. Ele também destacou o comportamento ágil do setor hoteleiro, que soube se adaptar ao período de crise, flexibilizando as ofertas.

Na avaliação do SindRio, o setor de alimentação também deve registrar uma grande movimentação. Levantamento realizado pela entidade, mostra que só os bares já aumentaram o faturamento em 10% por conta do desfile dos blocos. “O setor de alimentação e gastronomia deve ganhar com o aumento do turismo interno. O estrangeiro costuma ter a alimentação incluída no pacote e tem hábitos diferentes e o brasileiro sabe o que vai encontrar e interage mais com a cidade por conta da cultura do encontro e da celebração”, avalia. Isso é particularmente positivo para os micro e pequenos negócios.

Para assistir aos desfiles na Marquês de Sapucaí, o Coordenador de Vendas da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Heron Scheneider, informa que a dois dias do grande espetáculo, restavam pouco mais de 500 ingressos. Mas ele não considera a possibilidade de haver sobras. “O interesse pela festa é sempre crescente. A procura é sempre maior do que a oferta. Não há crise para o carnaval carioca”, avalia.

No Forte de Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, o prefeito da cidade, Eduardo Paes, entregou na sexta-feira (20), as chaves simbólicas da cidade para o rei Momo. Na solenidade festiva, Paes fez referência ao acidente com o caminhão da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), que na última terça-feira tombou no túnel Rebouças, uma das principais vias de ligação entre as zonas sul e norte, e paralisou a cidade. O prefeito brincou dizendo que se isso acontecer de novo, o rei Momo seria o responsável, já que está com a direção do Rio.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias - (61) 3348-7138 e 2107-9362
www.agenciasebrae.com.br
Sebrae no Rio de Janeiro - (21) 2212-7971

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em