Portos da Bahia vão receber cerca de 1 bilhão de reais em investimentos até 2014

Os portos possuem localização geográfica privilegiada, estando na metade do caminho entre a ligação Sul/Norte da costa leste das Américas

  
  

Até 2014, os Portos de Aratu, Salvador e Ilhéus, administrados pela Companhia Docas do Estado daBahia (Codeba), vão receber aproximadamente 1 bilhão de reais em investimentos compartilhados entre Governo Federal, iniciativa privada e recursos próprios da Companhia.

Os projetos de modernização e ampliação dos três portos são os destaques da presença da Codeba na Intermodal South America 2011, que acontece 5 a 7 de abril, em São Paulo. É a primeira vez que a Companhia participa da feira, a mais importante do setor de logística na América Latina.

De acordo com o diretor-presidente da Codeba, José Muniz Rebouças, os portos baianos registraram em 2010 o melhor resultado da série histórica: R$ 97 milhões em faturamento e 9,27 milhões de toneladas de movimentação total.

“Os investimentos programados alimentam nossas expectativas de crescimento futuro, pois vão aprimorar ainda mais os serviços disponibilizados e atrair novos armadores e outros clientes potenciais.”, afirma.

Entre as melhorias que serão destacadas durante a Intermodal 2011 estão: ampliação do terminal de contêineres do Porto de Salvador, as obras da Via Expressa Baía de Todos os Santos, a implantação de moderno terminal de passageiros no Porto de Salvador, a modernização do terminal de granéis sólidos do Porto de Aratu, a ampliação do píer e tanques do terminal de granéis líquidos, a dragagem e modernização do Porto de Ilhéus.

Além do detalhamento dos investimentos, a participação na feira tem objetivo de mostrar as potencialidades e diferencias dos portos públicos da Bahia.

“Os portos possuem localização geográfica privilegiada, estando na metade do caminho entre a ligação Sul/Norte da costa leste das Américas, bem como a curta distância de África e Europa”, afirma José Muniz Rebouças.

“Somado a isso estão as águas abrigadas e profundas da Baía de Todos os Santos, condição ideal para atividade portuária”, acrescenta o executivo.

Fonte: Rodrigo Prada

Visite: www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em