Obras do Rodoanel terão compensação ambiental

Com 43,8 km de extensão, a obra rodoviária cruzará o Parque Estadual da Serra da Cantareira - maior floresta urbana do mundo e patrimônio da humanidade - e causará danos e supressão da flora local

  
  
Com 43,8 km de extensão, a obra rodoviária cruzará o Parque Estadual da Serra da Cantareira

O diretor do Instituto de Botânica de São Paulo (IBot), Luiz Mauro Barbosa, e o presidente da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário), Laurence Casagrande Lourenço, assinaram um contrato, com duração de três anos, que torna o Ibot o consultor e orientador de recuperação da vegetação afetada pela construção do trecho norte do Rodoanel Mario Covas.

Com 43,8 km de extensão, a obra rodoviária cruzará o Parque Estadual da Serra da Cantareira - maior floresta urbana do mundo e patrimônio da humanidade - e causará danos e supressão da flora local.

O acompanhamento do reflorestamento compensatório é exigência do Estudo de Impacto Ambiental - Relatório de Impacto de Meio Ambiente (EIA-RIMA), da obra. Os botânicos visitarão o local antes, durante e depois da construção da rodovia. Técnicos do Ibot também realizarão cursos de capacitação para os funcionários da empreiteira.

Fonte: Governo de São Paulo

  
  

Publicado por em