Pedágio eletrônico ficará mais barato em SP

Entrada de nova concorrente provoca diminuição de custos para o usuário

  
  
Alckmin anuncia que pagamento eletrônico nas rodovias do Estado de São Paulo vai ficar mais barato ao usuário

O pagamento eletrônico nas rodovias do Estado de São Paulo vai ficar mais barato ao usuário. A partir de 15 de junho, a operadora Via Fácil, que administra o Sem Parar, vai extinguir a taxa de adesão, reduzir a mensalidade e criar um plano pré-pago. Na mesma data, entra em operação no Estado a DBTrans, concorrente da Via Fácil. A empresa vai operar nas vias oferecendo três tipos de plano de pagamento. "Estamos fazendo um trabalho para abrir o mercado. Queremos atrair várias empresas para reduzir ao máximo os custos para o consumidor", explicou o governador Geraldo Alckmin.

No Sem Parar não serão mais cobradas a taxas de adesão e de transferência de tag. As mensalidades, que custavam R$ 11,90 no Plano Clássico e R$ 15,76 no Adesão Zero, passam a custar R$ 8. A empresa também está lançando os planos Pré-Pago Sem Parar, que tem carga mínima de R$ 25 e taxa de recarga de R$ 4, mas sem taxa de adesão e o Novo Plano Pós Pago do Sem Parar que terá mensalidade de R$ 8.

Na DBTrans, o plano Auto Expresso Livre será pré-pago, com taxa de adesão de R$ 57,12 e mensalidade de R$ 6. O plano Auto Expresso é pós-pago e cobra a mesma taxa de adesão com mensalidade de R$ 6. Já o plano Rodocred é direcionado aos caminhoneiros que terão o serviço Vale Pedágio.

São Paulo ainda poderá ter outras operadoras oferecendo o sistema eletrônico de pagamento de pedágio. "Vamos gerar consumo desse produto e estimular as empresas estrangeiras a se intalarem no Brasil, quem sabe em São Paulo, para produzir aqui seus produtos", afirmou o secretário de transportes Saulo de Castro Abreu Filho.

Fonte: Governo de São Paulo

  
  

Publicado por em