Acre: uma história à sua espera

No mês da Independência do Brasil, conhecer Rio Branco, capital do Acre, pode reservar uma grande surpresa. O Memorial dos Autonomistas é uma boa pedida para quem gosta de turismo histórico

  
  
No Acre (AC), o Memorial dos Autonomistas é uma boa pedida para quem gosta de turismo histórico

No mês da Independência do Brasil, conhecer Rio Branco, capital do Acre, pode reservar uma grande surpresa. O Memorial dos Autonomistas é uma boa pedida para quem gosta de turismo histórico. O nome se refere aos homens que participaram da luta que transformou o território do Acre em estado, em 1957.

Antes, ele era parte da Bolívia, mas a maioria da população era formada por brasileiros, que não obedeciam às autoridades bolivianas. Em novembro de 1903, com o Tratado de Petrópolis, foi legitimada a posse do Brasil sobre o Acre.

O memorial fica anexo ao Palácio Rio Branco, sede do governo do estado. Fundado em setembro de 2002, ele guarda jornais do período entre 1904 a 1962, fotos históricas do estado, objetos marcantes e textos sobre os mais importantes episódios e os principais personagens da trajetória do Acre.

Guiomar Santos, o então senador responsável pelo projeto de lei de elevação do Acre a estado, e sua mulher, Lydia Hammes, estão enterrados no memorial em túmulos construídos especialmente para o local. Eles são as principais lembranças deste momento da história do Acre e também do país.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em