Australia Now celebra a cultura e promove experiências inéditas no Brasil

O programa é organizado pela embaixada australiana, em parceria com o Departamento de Relações Exteriores e Comércio da Austrália.

  
  
Australia Now celebra a cultura e promove experiências inéditas no Brasil

A partir do dia 21 de abril, onze cidades brasileiras serão palco de uma grande celebração da cultura australiana no Brasil. O festival Australia Now promoverá a diversidade e a vitalidade de sua cultura contemporânea com shows, espetáculos e performances interativas para todas as idades.

A expectativa é receber mais de 700 mil pessoas durante as seis semanas de apresentações de artistas e companhias de teatro, circo, dança e música.

“Queremos fomentar a parceria e o intercâmbio cultural entre artistas australianos e brasileiros, educadores e pesquisadores, deixando um legado permanente por meio da inclusão de comunidades de todo o país”, afirma Mark Bromilow, curador e produtor executivo do festival.

O programa é organizado pela embaixada australiana, em parceria com o Departamento de Relações Exteriores e Comércio da Austrália.

Na agenda, espetáculos como o do grupo de dança aborígene Descendance, Circus Oz, Black Arm Band/Dirtsong, The Loop Lab, Sydney Dance Company, Polyglot, Grigoryan Brothers, The Arrival, Gravity and Other Myhts, Russel Morris, Back to Back Theatre, além do coreógrafo Ahil Ratnamohan.

Em São Paulo, as atrações e atividades acontecem em quatro unidades do SESC (Serviço Social do Comércio – Bom Retiro, Vila Mariana, Pompeia e Interlagos -, além de apresentações gratuitas na Calçada Paulista do SESI e na Virada Cultural, nos dias 21 e 22 de maio.

Atrações

- Descendance

Inédito no Brasil, o premiado grupo de dança aborígene já excursionou por mais de 40 países, tendo se apresentado para artistas consagrados, chefes de estado, além da participação em eventos internacionais, como na Copa do Mundo de 2006 e nas Olimpíadas em 2000. A companhia inspira cidadãos pelo mundo todo com sua música, dança e cerimônias das tradições de mais de 60 mil anos dos povos aborígenes australianos, considerada a cultura viva mais antiga do planeta.

- Black Arm Band/Dirtsong

Celebra a música e a cultura contemporâneas dos aborígenes. O grupo estará pela primeira vez na América do Sul com o espetáculo “Dirtsong”, uma intensa viagem musical pelo coração da Austrália. Liderado pela vocalista Shellie Morris, o espetáculo traz canções em onze idiomas aborígenes. Em 2011, a cantora foi escolhida por Gilberto Gil para participar do documentário “Giramundo”, que retrata o compositor baiano em turnê e seus encontros musicais em países como Austrália, África do Sul e, é claro, Brasil.

- Circus Oz

- O mundialmente famoso Circus Oz volta ao Brasil apresentando seus acrobatas, malabaristas e monociclistas. O grupo revitalizou a arte tradicional do circo de um modo bem australiano, com rock’n roll e humor. Com 35 anos de estrada, a trupe já excursionou para 27 países e mais de 3,5 milhões de pessoas.

- Gravity and Other Myths

Pela primeira vez no Brasil, o grupo de acrobatas de uma das mais premiadas companhias de circo da Austrália, testa seus limites físicos no espetáculo A Simple Race, performance acrobática sem artificialidades, frenética, autêntica e repleta de bom humor.

- Back to Back Theatre

A peça conta a história da divindade Ganesh em uma missão para recuperar a swastika, tradicional símbolo hindu, da Alemanha Nazista. A partir dessa premissa incomum, se desenrola um intricado jogo. com o processo por trás das cenas de trazer o conto mítico à vida intercaladas com momentos de tensão.

- Sydney Dance Company

Uma das mais expressivas companhias de dança contemporânea da Austrália, apresenta, pela primeira vez no Brasil, o espetáculo Interplay, que combina três peças distintas, assinadas por três dos mais importantes coreógrafos da dança contemporânea no mundo.

- Hubbub Music

A proposta do grupo é construir um parque lúdico, musical e interativo, envolvendo a plateia na criação, fabricação e utilização. Nas seis semanas do projeto, os artistas australianos, em parceria com dois coletivos de artistas brasileiros, irão construir instrumentos musicais de grandes dimensões feitos a partir de materiais recicláveis. Uma performance musical criada pelos participantes celebrará o fim da instalação, que permanecerá como um legado permanente à comunidade.

- Polyglot

O grupo de teatro Polyglot traz para o Brasil duas performances interativas voltadas às crianças: em Ants, elas acompanharão formigas gigantes em um projeto de paisagismo que se revela uma investigação sobre a natureza do trabalho e do meio ambiente; e em We Build This City, uma cidade inteira é montada de maneira interativa a partir de caixas de papelão.

- The Loop Lab

Música e tecnologia aliadas para criar os mais incríveis sons multifônicos a partir da união de quatro talentosos músicos australianos. Os solistas Ben Walsh (percussão), Linsey Pollak (sopros), Tom Thum (beatbox) e Tjupurru (slide didgeridoo) desembarcam no Brasil para apresentar ao público o The Loop Lab, espetáculo repleto de humor e virtuosismo musical.

- Russel Morris

Russell Morris é um dos maiores expoentes do rock e blues australianos. Ganhador de discos de ouro e platina, o cantor apresenta seu mais recente trabalho Red Dirt – Red Heart, com canções que celebram os mais de 40 mil anos da história da Austrália, com a essência do blues e a vitalidade de um astro com 50 anos de carreira.

- Grygorian Brothers

Renomado duo de violões clássicos, apresentam um concerto a partir de suas obras originais que combinam um amplo espectro de estilos musicais - erudita, jazz, world music, tocadas com virtuosismo e expressvidade. O duo já tocou com Yamandú Costa e Duo Assad, dois dos mais talentosos violinistas brasileiros.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: Marília Bianchini / Vanessa Caccianiga

  
  

Publicado por em