A partir deste ano Cachoeira é a capital da Bahia no dia 25 de junho

A data comemora o 25 de junho de 1822, quando Cachoeira e alguns municípios vizinhos, iniciaram as lutas pela independência da Bahia.

  
  

A implantação do Memorial da Boa Morte, o pedido à Unesco para que Cachoeira e São Félix, sejam reconhecidos como Patrimônios da Humanidade, e um projeto de qualificação de mão-de-obra turística em Cachoeira, foram alguns dos compromissos firmados na quarta-feira, dia 25 de junho, pelo governador da Bahia, Jaques Wagner, e o secretário de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, na histórica cidade do Recôncavo do Estado.

Neste dia, pela primeira vez na história, a sede do governo baiano, foi transferida oficialmente para a cidade , o que a partir de agora, deverá acontecer todos os anos. A data comemora o 25 de junho de 1822, quando Cachoeira e alguns municípios vizinhos, iniciaram as lutas pela independência da Bahia. A transferência está prevista na lei 10.695/07, aprovada pela Assembléia Legislativa e sancionada pelo governador Jaques Wagner.

A cerimônia contou com a presença de secretários estaduais, dirigentes de órgãos públicos, do prefeito de Cachoeira, Fernando Antônio da Silva Pereira, do presidente da Assembléia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, do ministro interino da Cultura, Juca Ferreira, do ex-governador da Bahia, Waldir Pires, e membros da Irmandade da Boa Morte, dentre outras autoridades.

A celebração foi iniciada com o hasteamento das bandeiras do Brasil, da Bahia e de Cachoeira. Em seguida, todos seguiram para a igreja matriz, onde aconteceu o Te Deum, tendo à frente o arcebispo primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella Agnelo.

“Governar também é homenagear a história e construir um futuro”, disse o governador Jaques Wagner, a respeito da importância da transferência da sede do governo para Cachoeira nesta data. “A Assembléia aprovou e eu sancionei essa lei para que todo ano, em 25 de junho, haja essa celebração em Cachoeira, cidade que deu o primeiro passo para a independência da Bahia”, explicou. Para o secretário de Turismo, Domingos Leonelli, a data será muito representativa para o desenvolvimento do turismo na cidade de Cachoeira.

“Assinamos um convênio para elaboração de um projeto de implantação do Memorial da Boa Morte, e um convênio com a Universidade Estadual da Bahia (UNEB), visando a qualificação profissional para o turismo étnico na região. Serão cerca de 150 alunos capacitados para esse segmento”, informou o secretário Leonelli.

A presidente da Bahiatursa, Emília Salvador Silva, elogiou a homenagem. “É fundamental que a cidade de Cachoeira tenha esse reconhecimento, pois é um município que tem tudo para decolar no turismo. Possui rica gastronomia, história, cultura e um belo patrimônio artístico. Para que haja uma profissionalização do setor turístico, vamos contar também com o apoio da Universidade Federal do Recôncavo Baiano”, concluiu Emília.

Para o historiador e presidente da Fundação Pedro Calmon, Ubiratan Castro, essa é uma homenagem justa. “Foi Cachoeira que comandou a luta pela independência da Bahia. Não haveria 2 de julho se não houvesse 25 de junho”, disse o professor.

À tarde, foi realizada uma sessão solene na Câmara Municipal de Cachoeira para comemorar a data. Na oportunidade, a cachoeirense e oradora oficial da festa, a deputada federal Lídice da Mata, ao lado do governador, Jaques Wagner, mostrou grande satisfação pela iniciativa. Para encerrar, as tropas das Forças Armadas, da Polícia Militar e bandas do Recôncavo desfilaram pela cidade.

Fonte: DeCom Bahiatursa

  
  

Publicado por em

Claudenunes Mateus de Oliveira - Teofilândia Bahia

Claudenunes Mateus de Oliveira - Teofilândia Bahia

10/01/2013 11:51:33
Se existe amor à primeira vista, não sou a pessoa de maior capacidade a afirmar, uma coisa tenho certeza, ao colocar os meus pés neste pedaço de chão e percorrer com meus olhos a paisagem presente, ME APAIXONEI, considero a data 06 de janeiro de 2013 muito importante em minha vida, por ter sido o dia em que conheci a cidade de Cachoeira. Após algumas pesquisas e maravilhosas descobertas, não consigo passar um dia sem que pelo menos olhe as fotos deste baluarte cultural da Bahia. Meu deseje é, muito em breve se DEUS assim me permitir me tornar um cachoeirense.

Anderson Neves

Anderson Neves

20/06/2012 16:17:28
Enaltecer a importância de determinada região ou cidade, não pode ser representada pela criação de uma data comemorativa, mas sim por políticas que levem ao local o desenvolvimento necessário a uma vida digna por seus habitantes. Que Cachoeira não seja lembrada apenas por sua importância histórica, mas que seja lembrada no momento de discutir políticas do presente.

Katarina da Rocha

Katarina da Rocha

06/07/2009 17:03:01
Viavél, desde que o governo se disponha a relmente resolver os problemas dos cachoeiranos, gente que merece mais atenção por ter dado uma grande contribuíção a história do Brasil. Essa terra ñ precisa de mais títulos e sim de realizações, soluções e acima de tudo, valorização em prática não no papel.