Cinderelas, lobos e um príncipe encantado

Filme de caráter educativo é exibido em curso de qualificação

  
  

Os participantes do curso de formação de multiplicadores do Projeto de Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes assistiram nesta terça-feira (13) ao filme "Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado", de 2008, dirigido por Joel Zito Araújo. O longa-metragem mostra o sonho de cinderela de brasileiras que buscam encontrar um marido estrangeiro. No entanto, em busca dessa concretização, acabam entrando no caminho da prostituição e das drogas. Algumas delas entram ainda meninas no universo da exploração sexual, buscando melhores condições de vida.

De acordo com a coordenadora-geral do programa Turismo Sustentável e Infância (TSI), Elisabeth Bahia, do Ministério do Turismo (MTur), a exibição do documentário teve o objetivo de sensibilizar e promover a reflexão entre os participantes do curso.

“Muitas vezes, o turismo é o meio utilizado para a exploração sexual de crianças e adolescentes. Nossa meta aqui é contribuir para que os estados tenham condições de elaborar e implementar ações para prevenir este tipo de crime dentro de hotéis, restaurantes, bares e outros estabelecimentos ligados ao setor”, destaca a coordenadora.

Para Maria Alice Araújo, representante do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente do Estado de Tocantins, é importante levar a diante esse entendimento. “Sexo com alguém que tenha menos de 18 anos é crime, é exploração, não é simplesmente prostituição. A sociedade não pode aceitar como algo normal”, acrescenta.

O curso na Região Centro-Oeste teve início hoje (13) e vai até a próxima sexta-feira (16). Participam cinco representantes de cada estado, todos de órgãos e empresas ligadas ao turismo. Na semana que vem, será a vez da Região Sul receber o curso.

DENUNCIE

A exploração sexual de crianças e jovens, até 18 anos incompletos, é crime. E a legislação brasileira prevê punição para quem pratica ou facilita. Para denunciar os casos, ligue gratuitamente para o Disque 100 ou procure o Conselho Tutelar mais próximo.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em