Complexo Arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte, revela modernidade da obra de Niemeyer

O projeto arquite­tôni­co foi desenhado por um dos maiores arquitetos brasileiros, Oscar Niemeyer, após ser encomendado pelo então prefeito Juscelino Kubits­chek.

  
  

Um passeio pelo Complexo Arquitetônico da Pampulha, cartão postal de Belo Horizonte, Minas Gerais, revela diversas riquezas do marco da moderni­dade belo-hori­zon­tina aos milhares de turistas e visitantes que passeiam pelo local durante todo o ano.

O projeto arquite­tôni­co foi desenhado por um dos maiores arquitetos brasileiros, Oscar Niemeyer, após ser encomendado pelo então prefeito Juscelino Kubits­chek. Os prédios erguidos às margens da Lagoa da Pampulha foram inaugurados na década de 1940. Com a implantação do conjunto arquitetôni­co, paisagístico e cultural na orla do espelho d’á­gua, Kubit­schek fez da Pampulha um importante polo turístico da capital mineira, com espaços apropriados à prática de atividades ecológicas, esportivas, culturais e de lazer. O conjunto foi valorizado pela contribuição de artistas geniais: os painéis de Portinari, o paisagismo de Roberto Burle Marx, as esculturas de Alfredo Ces­chiatti, Zamoiski e José Pedrosa.

Atrações

O Complexo Arqui­te­­tô­­nico da Pampulha é composto pela Igreja de São Francisco de Assis, a popular Igrejinha da Pam­pulha –, o Museu de Arte da Pam­pulha, a Casa do Baile, o Iate Tênis Clube e o Aeroporto Carlos Drum­mond de Andrade. O ginásio Jornalista Felipe Drum­mond, o Mineiri­nho, e o Estádio Governador Magalhães Pinto, o famoso Mineirão, também se destacam na área.

O Jardim Zoológico, o Jardim Botânico e o Parque Ecológico da Pam­pulha, que integram a Fundação Zoo-Botânica de Belo Horizonte, são, ainda, boas opções de passeio para toda a família na região.

Fonte: Prefeitura de Belo Horizonte

  
  

Publicado por em