Pavilhão de Exposições do Anhembi sediará a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Uma novidade já definida é o Espaço Gourmet, cuja temática será cozinhando com palavras.

  
  

Uma programação cultural rica e diversificada composta por mais de 700 atividades distribuídas por pelo menos 400 horas durante 11 dias, é o que encontrará quem for a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo de 12 a 22 de agosto no Pavilhão de Exposições do Anhembi, Zona Norte da cidade.

Nesta edição, novos formatos, grande interatividade e a presença de conceituados escritores brasileiros e autores internacionais vão formar, em relação as edições anteriores, a grade mais pluralista dos 40 anos deste evento.

Realizada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, o momento do livro no Brasil tem por objetivo ampliar a base de leitores e democratizar o acesso ao livro – com reflexos imediatos à cidadania.

Nesse sentido foi criado um comitê para repensar o evento e um conselho de curadores. O primeiro já discutiu melhorias ao público e expositores; o segundo, responsável pela programação cultural, trabalha no fechamento da grade de atrações.

A primeira novidade desta edição é a parceria firmada pela CBL com a Reed Exhibitions Alcantara Machado, joint-venture entre a maior promotora de feiras do mundo – a Reed Exhibitions, presente no Brasil desde 1997 – e a maior da América Latina – a Alcantara Machado Feiras de Negócios, fundada em 1956.

A Reed brasileira é responsável por toda a promoção, comercialização, organização, operacionalização e montagem da Bienal. Outras subsidiárias da empresa também organizam as mais importantes feiras do setor de livros e publicações, como a Book Expo Américas, em Nova York, Paris Book Fair e Tókio International Book Fair.

A Bienal ocupará área de 60 mil metros quadrados (o equivalente a quase oito campos de futebol) do Pavilhão do Anhembi e a expectativa é reunir 350 expositores do Brasil e de fora que representam mais de 900 selos editoriais.

Uma outra novidade já definida é o Espaço Gourmet, cuja temática será cozinhando com palavras. Neste espaço, renomados chefs de cozinha que já escreveram livros apresentarão ao público aulas práticas e interativas em cozinhas cenográficas, além de abrigar lançamentos nesse segmento.

Os espaços já tradicionais também receberão inovações. O Salão de Idéias, por exemplo, terá seu conteúdo repensado e ampliado. A expectativa é apresentar 40 mesas (quatro por dia) onde escritores nacionais e internacionais discutirão temas diversos para platéias de 200 pessoas. Estão previstas 13 mesas individuais e seis mesas formadas por dois escritores cada, que discutirão um único tema. Está prevista também a realização de rodadas de debates no espaço.

“Este esforço fará toda a diferença para expandirmos o mercado editorial, e nos deixará mais preparados para enfrentarmos novos desafios, pois o que queremos é um País com um número cada vez maior de leitores”, afirma Rosely Boschini, presidente da CBL.

Sobre a Bienal, Rosely lembra que o evento atrai um público enorme e, por isso mesmo, constitui-se tradicionalmente em um elemento formador de novos leitores.

“Trata-se de um verdadeiro convertedor de visitantes de feiras em freqüentadores de livrarias. Sem contar que será um momento privilegiado para se homenagear os escritores e suas obras, além de estimular a todos, inclusive os jovens, a descobrir o prazer da leitura e respeitar a valiosa contribuição dos autores ao progresso dos indivíduos, das sociedades e nações”.

Juan Pablo de Vera, presidente da Reed no Brasil afirma que ”para nós é muito importante organizar a Bienal Internacional do Livro de São Paulo. O evento é referência no mundo da cultura nacional e internacional e permite que possamos integrar nossa experiência internacional ao sucesso do que já vinha sendo realizado”.

Também estão previstos o Espaço do Professor, idealizado para que o educador tenha contato com especialistas em educação nas diversas áreas do ensino; Espaço Universitário, com encontros entre jovens estudantes e mestres das principais universidades do Brasil; e Espaço Infantil, com atividades culturais lúdicas que visam proporcionar entretenimento para as crianças que visitarem a feira, além de outras novidades que estão sendo finalizadas.

Além da Bienal Internacional do Livro, a CBL organiza o Prêmio Jabuti, a mais tradicional premiação literária do Brasil, a Escola do Livro, além de participar anualmente de mais 13 feiras, sendo oito nacionais e cinco internacionais. Também lançou o programa Minha Biblioteca e o Cartão do Educador em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo. O Cartão do Educador beneficia 66 mil educadores que podem adquirir livros com desconto em livrarias conveniadas.

Sobre a Bienal Internacional do Livro de São Paulo:

É hoje o terceiro maior evento do gênero do mundo – as duas consideradas maiores são a Feira do Livro de Frankfurt e a Feira Internacional do Livro de Turim – que chega, em 2010, na sua 21ª edição. A Bienal do Livro é um grande ambiente cultural, onde se apresentam, juntas, as principais editoras, livrarias e distribuidoras do país, que otimizam seus lançamentos para esse período.

Além da diversificada oferta de livros de qualidade e de todos os segmentos, a Bienal oferece uma programação cultural ampla e variada, desenvolvida especialmente para despertar o gosto pela leitura em todas as faixas etárias e em todas as classes sociais.

Sobre a CBL:

A Câmara Brasileira do Livro (CBL), fundada em 1946, tem como missão atender aos objetivos maiores de seus associados – hoje, são 600 – e ampliar o mercado editorial por meio da democratização do acesso ao livro e da promoção de ações para difundir e estimular a leitura.

Para cumprir de modo adequado essa missão, a entidade desenvolveu estratégias voltadas à promoção da leitura e ao fortalecimento do mercado editorial, ancorando-as em três eixos bem definidos e complementares: ações políticas capazes de garantir voz e peso institucional a um setor de atividade decisivo para a disseminação do conhecimento e da cultura; o desenvolvimento do negócio do livro em todos os segmentos da cadeia produtiva; e amplo apoio aos associados, não só na prestação de serviços importantes, mas também na articulação em torno de uma entidade de classe representativa.

Serviço:

21ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO

Data: 12 a 22 de agosto de 2010

Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi - Av. Olavo Fontoura, 1.209 - São Paulo / SP

Fonte: Angela Ferreira

Visite: www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em