Museu das Reduções comemora 25 anos de fundação

Tudo começou em 1978, quando os irmãos Ênio, Décio, Sylvia e Evangelina Vilhena, todos aposentados, começaram a construir miniaturas de importantes edifícios brasileiros. A primeira réplica confeccionada pela família foi a Igreja de N. S. das Dores

  
  

No dia 15 de agosto, um dos cartões postais da tricentenária Ouro Preto – o Museu das Reduções – comemora 25 anos de fundação. Na instituição, a família Vilhena, responsável pela obra, conta de uma forma diferente parte da história da arquitetura nacional.

Tudo começou em 1978, quando os irmãos Ênio, Décio, Sylvia e Evangelina Vilhena, todos aposentados, começaram a construir miniaturas de importantes edifícios brasileiros. A primeira réplica confeccionada pela família foi a Igreja de Nossa Senhora das Dores, de Campanha/MG.

Atualmente, o Museu possui 29 réplicas reduzidas, que foram construídas com o mesmo material empregado na construção dos edifícios originais e que representam cada ciclo econômico: do ouro (Casa dos Contos, em Ouro Preto); da cana (Engenho São João, em Itamaracá-PE), do Café (Fazenda Resgate, em Bananal-SP), da imigração (Estação de Trem, em Joinville-SC) e industrialização (Usina Marmelos, em Juiz de Fora-MG).

A visita ao museu começa pelo sul do Brasil, passando pelo sudeste, nordeste e centro-oeste, terminando em Minas Gerais, que recebe espaço especial por sediar a instituição. A precisão e a riqueza dos detalhes das réplicas impressionam, o que faz o Museu das Reduções ser único no mundo.

Além de atração turística, o visitante também tem a possibilidade de explorar uma das modalidades mais importantes de turismo no país: o pedagógico. É que o Museu das Reduções possui em seu acervo um rico conteúdo de estudo, que pode ser utilizado como instrumento de educação. O Museu é patrocínado pela empresa Microcity Computadores e Sistemas.

Como parte das comemorações do aniversário, o Museu das Reduções recebe a exposição Monumentos Históricos e Fazendários, da artista plástica Simone Ribeiro. A mostra traz sete painéis em acrílico, modelado e espatulado sobre tela, que serviram de abertura dos capítulos do livro Monumentos Históricos Fazendários, de Eugênio Ferraz. O livro recebeu o Prêmio Pedro Calmon, de 2009, do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro em conjunto com os Institutos Históricos e Geográficos dos Estados.

O Museu está localizado no distrito de Amarantina, com acesso no KM 69 da Rodovia dos Inconfidentes/BR356, à Rua São Gonçalo, 131. Os ingressos são vendidos a R$8,00. Estudantes, idosos e grupos acima de 20 pessoas pagam meia-entrada. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (31) 3553-5182 e/ou pelo e-mail museudasreducoes@gmail.com.

Fonte: Converso Comunicação

  
  

Publicado por em