No Zoo de São Paulo, férias cheias de atrações

Além de conhecer centenas de espécies de animais, o público pode participar de brincadeiras, como os Jogos da Natureza

  
  
Numa área de 824 mil m² , o Parque Zoológico de São Paulo é considerado um dos dez melhores do mundo, pela diversidade de animais que abriga

Numa área verde, crianças se reúnem para brincar. Uns se transformam em árvores e dois deles são convidados a vendar os olhos: um menino assume o papel de uma sucuri, maior cobra do Brasil, e tem a missão de pegar uma garotinha, também de olhos vendados, que faz papel de anta.

Na brincadeira, o predador bate palmas uma vez e a presa, duas. O jogo acaba quando o predador, mesmo sem enxergar, sente as vibrações e captura a presa. “Na natureza ocorre a mesma coisa. O predador caça a presa, camuflada para se proteger. O leão, por exemplo, come a zebra. Isso é um processo natural e faz parte da cadeia alimentar”, explicam os monitores dos Jogos da Natureza do Zoológico de São Paulo.

A atividade foi oferecida ao público pela primeira vez em outubro, na Semana das Crianças. “Adoramos a experiência. Até mesmo os pais brincaram! E acabou dando tão certo que o Zoológico decidiu programar os Jogos da Natureza também nestas férias”, conta a monitora Cássia Regina da Silva, graduanda de Ciências Biológicas.

A atividade, gratuita, é oferecida ao público de todas as idades que visita o Zoológico. Começou dia 15 de dezembro e se encerrará em 15 de fevereiro. Os 18 monitores coordenam as brincadeiras, de terça-feira a domingo, em cinco sessões diárias (10h30, 11h30, 13h30, 14h30 e 15h30). Quem quiser participar deve procurar os educadores no local de realização dos jogos – área verde em frente ao viveiro do urso-de-óculos.

Cordas e vendas – De acordo com a idade do participante, os monitores selecionam o jogo mais apropriado, entre eles Que bicho sou eu? (aborda características da vida animal e sua anatomia), Abrace a árvore (estimula afetividade com a flora), Brincadeira do nariz (participante coloca o dedo na frente do nariz antes da tentativa de adivinhação do animal) e outros.

A expectativa do parque é receber cerca de 80 pessoas por dia durante a semana e 120, aos sábados e domingos. “Gostei, achei legal a brincadeira que fiquei com os olhos vendados”, diz a Júlia Moromizato, 5 anos, que veio ao Zoo acompanhada da mãe e do avô. Eles moram em Taubaté, no Vale do Paraíba, passearam em Santos e aproveitaram o retorno para visitar o Zoológico.

Jogos da Natureza: A atividade, gratuita, é oferecida ao público de todas as idades que visita o Zoológico

O Jogos da Natureza foi desenvolvido no parque por estímulo da Associação Latino-Americana de Zoológicos. “Representantes dos zoológicos de Cali (Colômbia) e de Temaiken (Argentina) vieram aqui e nos apresentaram suas metodologias de aplicação da brincadeira. Nós as adaptamos ao público, bem como o espaço disponível e começamos a realizá-las em outubro passado”, explica o educador ambiental Thiago Toshio Leite. De forma lúdica, a ideia é transmitir a adultos e crianças a importância da conservação ambiental. Para tanto, o monitor usa ficha com imagem de animais, cordas, vendas para os olhos e muita sensibilidade para interagir com o grupo.

Cultura indígena e animais de hábitos noturnos

Localizado numa área de Mata Atlântica original, nas nascentes do Riacho do Ipiranga, o parque acolhe mais de 3,2 mil animais. São 102 espécies de mamíferos, 216 de aves, 95 de répteis, 15 de anfíbios e 16 de invertebrados, distribuídos em recintos e terrários amplos, semelhantes ao hábitat.

A visita ao Zoológico reserva ainda outras atrações, oferecidas o ano todo. No Espaço Abaré, o público conhece a diversidade cultural, social, linguística e ética dos povos indígenas. Há ainda exposições como O pulo do sapo (trata características dos anfíbios), Sauveiro (formação de saúvas – espécie de formiga tropical que vive em colônia subterrânea), Curiosidades dos répteis, jogos educativos chamados Riquezas do Brasil e Zoo Móvel (carrinho itinerante acompanhado de monitor que bate-papo com o público sobre curiosidades dos animais).

Outra atração bastante concorrida é o passeio noturno ao Zoológico, promovido quinzenalmente, sempre às sextas-feiras. O objetivo é apresentar ao público animais que dormem durante o dia e despertam à noite, como coruja, tigre e leão. O passeio será retomado em 13 de janeiro e dura três horas (das 19h30 às 22h30). Inclui visita próxima aos hábitats dos bichos e às áreas técnicas, reflexão da caminhada e lanche. É preciso fazer agendamento prévio.

No Espaço Abaré, o público conhece a<br />diversidade da cultura indígena do Brasil

Safári sensorial – Quem preferir ainda mais aventura deve ver os bichos de perto, visitando o Zoo Safári. O passeio de mais de 4 quilômetros em trilha na Mata Atlântica (com carro próprio ou van do Zoológico) leva ao hábitat de cervo, ema, lhama, avestruz, pavão, anta, bisão, leão, tigre e onça. Eles vivem soltos, numa área protegida, que oferece toda a segurança às pessoas.

Todo sábado, a partir de 7 de janeiro, das 9h30 às 15h30, o Zoo Safári oferecerá ao público o Safári Sensorial. A atividade ocorre na Casa da Educação (próxima à entrada principal do Zoo Safári); dura cerca de 20 minutos e reúne grupo de cinco pessoas para percurso com olhos vendados. “Sem a visão, a ideia é explorar o tato, olfato, audição e estimular a reflexão do impacto do homem no meio ambiente”, informa o educador ambiental Thiago Toshio Leite.

Lá, há representação dos principais biomas brasileiros e réplicas de animais, plantas, relevos e climas.

Serviço
Zoológico de São Paulo
Av. Miguel Stéfano, 4.241 – Água Funda
Zoo Safári e Zoológico abrem de terça-feira a domingo, das 9 às 17 horas. As bilheterias fecham às 16 horas
Valor do ingresso e outras informações no site www.zoologico.sp.gov.br/ingressos.htm
Zoológico: (11) 5073-0811
Zoo Safári: (11) 2336-2131

Fonte: Governo de São Paulo

  
  

Publicado por em