O Brasil à espera dos chineses

Boas relações e fluxo de turistas estreitam os dois países

  
  
A relação Brasil e China cresce a cada dia

Brasília (DF) - A relação Brasil e China cresce a cada dia. Acordos firmados, visitas de representantes e promoção de intercâmbios de todo tipo estreitam as relações entre os dois países. Segundo o Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, em 2009 mais de 28 mil chineses nos visitaram. Já em 2010, o número chegou aos 38 mil.

O fortalecimento das relações diplomáticas e comerciais trouxeram, por exemplo, esta semana, a Brasília, o vice-primeiro-ministro chinês, Wang Qishan, e uma delegação formada por ministros de Estado. E essa aproximação vem sendo praticada há tempos. Em 2004, foi assinado o ‘Memorando de Entendimento entre o Ministério do Turismo e a Administração Nacional de Turismo da China’, que concedeu ao Brasil o status de ‘Destino Aprovado’ (ADS).

Em 2010, o MTur credenciou 70 agências de viagem de turismo para atender grupos de turistas chineses. E em janeiro último, o ministério promoveu chamada pública com os requisitos exigidos para selecionar novas agências que tenham interesse no segmento. O resultado sairá dia 10 de março.

Hoje, a China é a principal parceira comercial do Brasil, mas ainda há entraves. A abertura para produtos manufaturados vindos daquele país tem provocado queixas da indústria nacional. Além disso, exportações agrícolas e pecuárias encontram dificuldades, diante das barreiras impostas pelos asiáticos. O ministro do turismo, Gastão Vieira, defende a aproximação: “Estreitar os laços com a China é muito importante. O fluxo de asiáticos ainda é baixo, mas o turismo de negócios pode abrir oportunidades para outros tipos de turismo”.

A China é hoje o terceiro país do mundo que mais gasta com o turismo no exterior - na faixa dos U$$ 55 bilhões. E com a presença dos chineses no Brasil ficou constatada algumas diferenças em relação ao turista ocidental. “O chinês não é um turista de sol e praia. Ele gosta de conhecer a estrutura da natureza do país visitado e seu ecoturismo. Por isso, temos que nos preparar para oferecer o que eles gostam de ver”, confirmou o diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, José Francisco Lopes.

PARA BEM RECEBER OS CHINESES

CUMPRIMENTOS
: evite contatos físicos. A cultura chinesa trata com reverência os mais velhos, portanto, sempre comece por cumprimenta-los, antes dos mais jovens.

TRATAMENTO
: os sobrenomes chineses vêm à frente do nome, diferente do Brasil. O nome da família é mais importante. E sempre entregue documentos com a mão direita para os asiáticos. A mão esquerda é impura.

NEGOCIAÇÕES
: Não tenha pressa. Para o chinês, ‘tempo é tempo’, pois a paciência é um importante valor agregado a qualquer negociação.
O MAIS IMPORTANTE
: Nunca confundir chineses com japoneses. Os chineses orgulham-se de pertencer a uma das civilizações mais antigas do planeta.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em