Projeto estimula a vivência cultural das cidades históricas mineiras

Experiências podem ser vividas por meio do Cardápio de Atividades, Produtos e Roteiros das Cidades Históricas de Minas.

  
  

Imagine chegar a São João del Rei (MG), cenário marcado pela religiosidade e história, e ser conduzido a igrejas e casarões de estilo barroco por um guia de turismo com roupas de época. Experiências como essa já podem ser vividas por meio do Cardápio de Atividades, Produtos e Roteiros das Cidades Históricas de Minas Gerais, que lista 30 roteiros culturais e 260 atividades turísticas de imersão na história e nos costumes dos locais visitados.

O cardápio foi elaborado tendo como foco a cultura das cidades históricas, segundo Fátima Tropia, coordenadora do Processo de Roteirização. “O objetivo foi identificar oportunidades de negócio que envolvessem a comunidade local e valorizassem os atributos da região”, explica. No processo de formatação dos roteiros foram valorizados a culinária, o artesanato e a identidade das 25 cidades históricas mineiras contempladas pelo projeto.

Em Tiradentes (MG), por exemplo, o cardápio propõe o Prosa e Barro com Tião Painera. O Seu Tião, como é conhecido, passava os finais de semana fazendo vasos de barro na praça de Tiradentes. Hoje, recebe os turistas em casa, em visitas agendada por telefone, para ajudá-lo a fazer vasos, ouvir histórias da sua vida e da cidade e comer uma broa caseira.

Seu Tião é procurado pelos operadores de turismo como garoto propaganda do projeto. Aos 81 anos, carismático, o artesão conta que aprendeu o ofício de oleiro com seu pai. “O meu trabalho é uma lembrança dos meus antepassados. Meu pai aprendeu com meu avô e me ensinou a fazer vasos de barro quando eu tinha 14 anos”, recorda. Para Seu Tião, a arte é um ofício, frase estampada nas camisetas que o artesão vende aos turistas.

Segundo a coordenadora geral de Produtos Associados ao Turismo do MTur, Ana Cristina Albuquerque, “essa é uma forma de agregar valor ao produto turístico da região e diferenciar a oferta, fazendo com que o turista permaneça mais um dia em seu destino”. A coordenadora ressalta ainda que, por meio da atividade turística, a ação cria oportunidades de trabalho e renda para a comunidade local.

O guia Giovanni Frigo, de 48 anos, adotou o turismo vivencial como o diferencial do seu trabalho. “Ao vestir uma cartola e um fraque como se fosse um Barão do século XVIII, você permite que o turista viaje no tempo”, explica. Para Frigo, a caracterização também dá identidade a seu trabalho. “A roupa de época é a cara de Minas Gerais”. A atividade diferenciada rendeu frutos. O guia passou a dar palestras a profissionais em outras cidades e criou um curso de especialização em guiamento para pessoas especiais e para o público da terceira idade.

Os turistas podem consultar o Cardápio de Atividades tanto na versão impressa como no portal www.cidadeshistoricasdeminas.com.br. Além de informações sobre as cidades participantes, o turista pode montar o próprio roteiro.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em