Recife requalifica monumento da cultura Afro

Monumento que resiste ao tempo desde a época colonial, a Cruz do Patrão ecoa as raízes da cultura negra no Recife.

  
  

Monumento que resiste ao tempo desde a época colonial, a Cruz do Patrão ecoa as raízes da cultura negra no Recife. O local está na agenda da Prefeitura do Recife para se transformar no mais novo equipamento turístico-religioso da cidade, com o projeto de requalificação e construção de um complexo que servirá de referência para a cultura afro-brasileira. A versão final do projeto foi apresentada, na última segunda-feira (17), no gabinete do secretário de Turismo do Recife, Samuel Oliveira, aos representantes das comunidades afro e convidados.

O projeto Cruz do Patrão é uma iniciativa da Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Turismo, e será executado pelo Governo do Estado com investimento do Prodetur Nacional. Com uma área total de uso de mais de 10 mil m², serão construídos um prédio administrativo (com biblioteca ou livraria sobre a cultura negra), auditório, lojas, salão de exposição, restaurante, cafeteria e estacionamento. Haverá ainda um passeio de 200 metros de extensão às margens do rio, com grafismos africanos, e três píeres para atracação de catamarãs.

A previsão é de que o edital do projeto seja lançado até o fim deste ano. Acreditamos que é um espaço extraordinário e irá gerar um aumento da visitação popular, incentivando o recifense a conhecer a cidade, porque o turista quer ir onde a população está, comentou o secretário de Turismo, Samuel Oliveira. Ainda de acordo com o responsável pela pasta, o projeto Cruz do Patrão faz parte da ideia do Recifense Praticante, que tem o objetivo de despertar o hábito da população de visitar locais turísticos.

Segundo o arquiteto responsável pelo projeto da Barros Lima Arquitetura, Genival Júnior, o local, quando for devolvido à população, poderá ser considerado uma novidade, pois poucos o conhecem. Estamos propondo uma estrutura para que haja uma frequência de visitantes. Queremos que o recifense se aproprie do local, avaliou. O projeto foi bem recebido pelos representantes da cultura afro, pois valorizará mais o turismo de religião.

É uma peça desconhecida do recifense e a prefeitura percebeu o valor da Cruz do Patrão para a cultura negra. Podemos até pensar em fazer a festa de Iemanjá lá, contou o presidente da Associação Brasileira de Yalorixás e Babalorixás do Estado de Pernambuco (Abycabepe) e babalorixá do Sítio do Pai Adão, Manuel Papai. Também participou da reunião o deputado federal Pedro Eugênio que vem acompanhando o projeto desde o início. O projeto é positivo para a recuperação da orla do rio Beberibe. Será muito bom para a população, disse.

Fonte: Secretaria de Turismo de Recife

  
  

Publicado por em