Tulum: a cidade dos Maias

Descubra as ruínas maias de Zamá, perto do pôr do sol, é nesse momento que compreenderá melhor o encanto de Tulum

  
  
As ruínas, intactas, localizam-se a 130 quilômetros ao sul de Cancún e estão hoje entre as mais visitadas do país

Assim que chegar a Tulum já irá perceber porque este local é tão famoso. Tulum tem um trecho de costa com ruínas maias beirando as paradisíacas praias do Caribe. Para descobrir melhor o encanto de Tulum aprecie, perto do pôr do sol, a mistura entre as ruínas maias de Zamá e o oceano azul pintado de laranja.

Tulum é dos destinos mais intrigantes do México. A areia branca e macia, o mar verde-esmeralda e o sol escaldante durante quase todo o ano já seriam motivos suficientes para atrair boa parte dos turistas que se aventuram pela Riviera do México. Os maias anteciparam-se e, aproveitaram a beleza do local (e um posicionamento estratégico para defender-se das tribos inimigas) e construíram sua fortaleza com grandes muros num morro com vista para o mar.

As ruínas, intactas, localizam-se a 130 quilômetros ao sul de Cancún e estão hoje entre as mais visitadas do país. O Castelo e o Templo de los Frescos são os destaques das construções. A cidade abrigava altares ancestrais, controlava o comércio marítimo dos maias e era habitada quando ocorreu a invasão espanhola. Foi completamente abandonada apenas 80 anos depois, em 1598. Hoje, Tulum já é o local com resquícios maias mais visitado em toda a Península de Yucatán.

Em Tulum há três estruturas principais de interesse: El Castillo, o Templo dos Frescos e o Templo do Deus Descendente. El Castillo é a torre que domina a área e está situada sobre a falésia. As suas colunas decoradas com serpentes emplumadas são uma indicação de influência tolteca. Logo em baixo fica a El Castillo, uma pequena praia, mas perfeita, onde os maias teriam desembarcado suas canoas.

O Templo dos Frescos tem um retrato de um homem num cavalo, o que indica que esses desenhos ainda estavam sendo feitos após a chegada dos espanhóis. O cavalo foi introduzido pelos espanhóis e foi adorado pelos maias como uma criatura divina. O Templo do Deus Descendente tem um relevo de estuque de um deus de cabeça para baixo alados que também tem a abelha como características, o que demonstra a importância do mel para os maias.

Vá à Tulum pela areia branca e macia, pelo mar turquesa, pelos recifes de corais, pela cultura maia, pelas margaritas à beira-mar e pelo relaxamento total.

Fonte: Destinos de Viagem

  
  

Publicado por em