Turismo cultural é atração no Vale do Café

O clima do século XIX será reforçado pela mostra de gastronomia típica do período

  
  
Todo o espetáculo é representado por atores e figurantes em trajes de época / divulgação

Na região do Vale do Café, um dos pólos mais procurados pelos turistas no estado do Rio de Janeiro

, a riqueza e o requinte do ciclo do café permanecem em cena nas cerca de 30 fazendas históricas abertas à visitação e hospedagem e nos prédios públicos, como igrejas, praças e construções transformadas em museus.

É lá que, durante o Festival Vale do Café (22 a 31 de julho), será relembrado um período marcante da história do Brasil no Sarau Histórico da Fazenda Florença, representado no último quarto do século XIX e que encerrará a programação do festival na manhã de 31 de julho.

Ambientado no cenário da fazenda que pertenceu aos Teixeira Leite (os Barões de Itambé de Vassouras foram membros centrais da família), o evento teatral contará com personagens caracterizados em roupas de época, mobiliário, cenário e carruagens.

Na história o Conde d'Eu visita os fazendeiros do Vale acompanhado do Marechal Manuel Antônio da Fonseca Costa, que também tem os títulos de Barão e Visconde da Gávea.

O motivo de o Marechal acompanhar o conde d'Eu é para demonstrar o apoio do Exército Imperial ao Imperador Pedro ll, uma vez que no ano de 1887 havia um movimento de tentativa de cooptação de oficiais do exército no sentido de apoiar os Republicanos.

Nesta oportunidade o conde d'Eu faz a entrega da carta da princesa Isabel agraciando o fazendeiro Francisco Paulo de Almeida, único nobre negro do império brasileiro, com o título de Barão de Guaraciaba.

Este encontro acontece na Fazenda Florença onde a sua proprietária, Dona Antônia, está acompanhada de sua mucama Laura e da cantora Maria Fernanda, que prestará uma homenagem cantando algumas músicas.

O Barão de Guaraciaba é um homem (fazendeiro) muito rico e culto, com habilidades para tocar violino. Neste sarau ele será solicitado pela Dona Antônia a também prestar uma homenagem (tocando violino) ao Conde d'Eu.

O clima do século XIX será reforçado pela mostra de gastronomia típica do período, quando serão servidos ao ar livre lanches com comidas de época francesas e quitutes de origem africana, como cuscuz, canjica e cocada. A música terá destaque em interpretações contextualizadas.

Todo o espetáculo é representado por atores e figurantes em trajes de época. Outra atração serão os modelos vivos que representarão as telas do pintor Jean Baptiste de Debret, que retratam o cotidiano das ruas cariocas no período imperial.

Retirado do ostracismo econômico de boa parte do século XX pelo turismo, o Vale do Café é parada obrigatória para quem foge da cidade grande em busca do verde da mata atlântica, do ar-puro do interior e de um ambiente familiar.

Famosa pelos festivais de música e culinária, Valença, onde está localizada a Fazenda Florença, no distrito de Conservatória, é procurada por turistas do Brasil inteiro e seu ar bucólico serve de locação para diversas novelas e filmes de época ambientados no período imperial. É um dos principais destinos com atrativos para quem busca a paz do interior e um roteiro voltado para o turismo cultural.

Serviço:

Sarau Histórico da Fazenda Florença

Quando: todos os sábados para os hóspedes da Fazenda Florença;

Dia 31 de julho, domingo, para o encerramento do Festival Vale do Café 2011 (www.festivalvaledocafe.com);

Onde: Fazenda Florença (Estrada da Cachoeira, 1560, Conservatória – Valença)

Fonte: Raquel Belém

Visite: www.revistaecotour.com.br

  
  

Publicado por em