Turismo Étnico traz à Bahia cerca de 300 afro americanos

Jornalistas, intelectuais, operadores de turismo e profissionais liberais prestigiam a Festa da Irmandade da Boa Morte , que acontece na cidade de Cachoeira, no Recôncavo baiano.

  
  

Jornalistas, intelectuais, operadores de turismo e profissionais liberais afro americanos, não param de chegar à Bahia, para participar da Festa da Irmandade da Boa Morte, que acontece de 13 até o dia 15 de agosto, na cidade de Cachoeira, no Recôncavo baiano.

Na madrugada de ontem , mais um grupo destes visitantes chegou a Salvador e foi recepcionado por capoeiristas, baianas e técnicos da Bahiatursa.

A vinda destes americanos, é resultado do trabalho que a Secretaria de Turismo e a Bahiatursa vêem realizando nos Estados Unidos, com o objetivo de incrementar o Turismo Étnico, no estado da Bahia, pontua a Diretora de Relações Internacionais da Bahiatursa, Rosana França.

“É como se a gente estivesse começando um trabalho de educação com estes americanos, diz a diretora. Muitos deles nem sabiam aonde ficava o Brasil. Anteriormente existia um forte interesse em trabalhar a Europa. E nós queremos trabalhar a nossa história, a nossa cultura e o nosso povo, conclui Rosana.

“Existe um grande interesse do afro americano com relação à Bahia, fala Rosana. Eles possuem um alto nível intelectual e sempre buscam o conhecimento da sua origem africana, hoje mais preservada aqui em Salvador do que em muitos países da África. A Boa Morte é um bom momento com relação à religiosidade” finaliza Rosana.

Segundo Billy Arquimimo, Coordenador de Turismo Étnico da Secretaria de Turismo da Bahia, existe uma previsão de 300 afro americanos este ano na Festa da Boa Morte. “E este pessoal não deve visitar apenas a cidade de Cachoeira, diz Billy: eles irão provar a comida afro baiana, visitar o Pelourinho, o Centro Histórico, os terreiros de candomblé e no sábado pela manhã, um grupo vai conhecer um pouco do trabalho realizado pelo Ilê Aiyê, que inclusive prepara uma apresentação para eles. O Ilê, que há mais de 30 anos, luta pela preservação da cultura africana em nosso estado, conclui Billy.

Ainda como resultado do trabalho feito pelo governo baiano nos Estados Unidos, Billy cita a presença aqui em Salvador, do jornalista Armenious Patterson Jr, da revista Upscale, voltada para produtos de beleza utilizado pelos negros. Nas próximas 5 edições esta revista, que circula em boa parte dos Estados Unidos, deve realizar grandes reportagens aqui na Bahia.

Todos os jornalistas afro brasileiros que estão em Salvador até o próximo domingo, dia 17 de agosto, escrevem ou apresentam programas ligados à cultura negra. Quatorze deles, incluindo operadores turísticos, deverão ficar hospedados no Hotel da Bahia.

Programação:

Ontem , dia 13, às 13h 30, os afro americanos receberam as boas vindas baianas no Hotel da Bahia. Os Jornalistas foram convidados para o evento. À tarde, o grupo fez uma visita ao Pelourinho e ao Centro Histórico

À noite, jantaram no Restaurante Coliseu, no Pelourinho, onde provaram a comida afro baiana e assistiram a um show folclórico.

Hoje, dia 14, pela manhã, visitaram o Ilê Aiyê, onde assistiram a um show do grupo.

Fonte : Departamento de Comunicação da Bahiatursa

  
  

Publicado por em

Rafaela

Rafaela

29/10/2009 15:20:33
achei muito interessante.

MrMarques72

MrMarques72

18/09/2008 16:54:54
Eu adoro o Brasil!! Sou afro-americano e jah fui ao Brasil 8 vezes. A experiencia dos afrodescendentes eh muito similar e agora, nos precisamos aprender sobre a historia da Diaspora Negra.

www.afrobrasilamerica.blogspot.com