Turistas indicam Porto Alegre como destino de lazer

Os parques e as atrações culturais de Porto Alegre, ao lado da paisagem e das possibilidades de compras que a cidade oferece, são os principais atributos que os turistas nacionais destacam para outras pessoas sobre a capital gaúcha

  
  
Centro de Porto Alegre

Os parques e as atrações culturais de Porto Alegre, ao lado da paisagem e das possibilidades de compras que a cidade oferece, são os principais atributos que os turistas nacionais destacam para outras pessoas, em relação à Capital gaúcha. Independente do motivo da viagem, 89,2% dos visitantes manifesta intenção de retornar e 85,6% recomendam a cidade para algum amigo como um destino de lazer. Numa escala de 1 (muito fraco) a 4 (muito bom), a capital dos gaúchos, em geral, recebe a nota 3,2 dos visitantes, que destacam a gastronomia, hospitalidade, hospedagem, lazer e entretenimento, atrativos turísticos e serviços de transporte. Os menores níveis de satisfação são para segurança, limpeza pública e sinalização urbana.

Os dados foram revelados em pesquisa Perfil do Turista Nacional em Porto Alegre, realizada pela Secretaria Municipal de Turismo em parceria com as Faculdades Rio-grandenses (Fargs), e que será apresentada hoje, 9, às 19h, em evento no auditório da instituição de ensino (rua Marechal Floriano, 626, Centro Histórico da Capital), com a presença do secretário municipal de Turismo, Luiz Fernando Moraes, o diretor da Fargs, Marcelo Mantelli, a professora coordenadora da pesquisa Kátya Rizzon, e representantes do trade turístico.

O levantamento foi realizado no período de 22 de abril e 5 de maio, seguindo critérios aplicados em pesquisas pela Fipe e FGV. Foram ouvidas 250 pessoas de outras cidades que deixavam a Capital pela área de embarque doméstico do Aeroporto Internacional Salgado Filho e nas plataformas intermunicipal e interestadual da Estação Rodoviária. A pesquisa foi aplicada em todos os dias da semana, incluindo sábados e domingos, em três turnos.

Emissores e perfil - Do total dos turistas ouvidos, 59% tem origem nos estados do Sul do país, e deste total 68% são de outras cidades do Rio Grande do Sul. Em relação ao universo de 250 turistas entrevistados, os gaúchos representaram 40%. Os outros emissores são, na ordem, os estados do Sudeste (31%), do Nordeste (5%) e do Centro-Oeste (5%). Os turistas pesquisados pernoitaram na Capital 4,56 noites, em média. A maior parte dos visitantes, 35,2%, realizou a viagem por motivo de negócios ou trabalho, 34% para visitar amigos e parentes e 12,8% vieram à capital gaúcha a lazer. O restante ficou dividido em viagens para tratamento de saúde, estudos, cursos ou eventos.

De acordo com o levantamento, visitantes com menos de 30 anos e os acima de 61 anos viajam principalmente para visitar amigos e parentes. Para os que se situam na faixa de 31 a 60 anos, negócios e trabalho são os motivos predominantes para a viagem. A maioria (60,4%) dos turistas que vieram a Porto Alegre por essas duas últimas razões desembarcaram na cidade por meio de voos domésticos, no Aeroporto Salgado Filho. De outra lado, 58% dos que chegaram à cidade pela Estação Rodoviária foram motivados por visita a amigos e parentes.

Renda e gastos - Dos visitantes, 25,2% têm menos de 30 anos, 20,4% se situam na faixa de 30 a 40, e 19,5% na de 41 a 50 anos de idade. Em relação à renda, 23,6% percebe entre R$ 512 a R$ 1.533 e 27,2% ganha de R$ 1.534 a R$ 5.112. Na faixa de R$ 5.113 a R$ 10.225, estão 20% dos entrevistados. O valor gasto durante a permanência em Porto Alegre ficou abaixo de R$ 300 para 36,4% dos viajantes, enquanto 26% deixram na cidade até R$ 800, e 14,4%, até R$ 1.300. Gastos até R$ 1.800 foram feitos por 6,4% dos turistas e, acima de R$ 1.800, por 8% do universo pesquisado. As despesas se referem à hospedagem, alimentação, transporte na cidade, passeios e atrativos e compras.

O cruzamento entre o gasto e faixa etária demonstra que o turista na faixa de 31 a 40 anos é o que mais deixa dinheiro na cidade, enquanto os visitantes com idade superior a 61 anos são os que menos fazem despesas. Dos entrevistados, 48,8% hospedou-se em casa de amigos e parentes, enquanto 39,2% utilizou a rede hoteleira. O meio de transporte na cidade mais utilizado foram táxis (31,6%), ônibus e lotações (27,6%) e carro de amigos e parentes (26,8%).

Comparativos – A primeira pesquisa para identificar o perfil do turista nacional em Porto Alegre foi realizada em outubro de 2007, em parceria com a UFRGS. Naquele levantamento também foram ouvidas pessoas de outras cidades que deixavam a Capital pelo Aeroporto Internacional Salgado Filho e pela Estação Rodoviária, num total de 397 turistas, em todos os dias da semana, incluindo sábado e domingo. Em relação ao grau de satisfação com a cidade, os entrevistados também destacaram positivamente gastronomia e hospedagem, atribuindo menor nota à segurança pública, limpeza urbana e sinalização. Pelo levantamento, 38,5% dos entrevistados viajaram a Porto Alegre a negócios e trabalho, e 18,9% para visitar parentes e amigos, enquanto 14,9% em busca de lazer. A média de pernoites na cidade foi de 4,58, próxima à detectada na pesquisa deste ano, de 4,56 noites.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

  
  

Publicado por em