Escalada e aventura nas montanhas brasileiras

Atividade requer equilíbrio, paciência e concentração

  
  
Rapel

Alcançar o topo de montanhas, paredes e blocos rochosos é o grande objetivo da escalada, uma atividade de aventura que exige paciência, equilíbrio e concentração do participante para superar os obstáculos durante a subida. Além da satisfação pessoal, o contato com a natureza e os visuais deslumbrantes são outros atrativos da atividade.

“Além de atividade saudável, tenho a escalada como filosofia de vida.Minha intenção é estar em contato com a natureza podendo desfrutar das paisagens das montanhas de um ângulo possível a poucos”, avalia Ronaldo Franzen Nativo, renomado escalador e montanhista.

Vias de diferentes níveis de dificuldade espalhadas por todo o país servem a praticantes iniciantes ou experientes. O Pico do Marumbi, no Paraná, um marco da escalada brasileira desde 1879, quando foi escalado pela primeira vez, o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, no Rio de Janeiro, o Pontão da Praia de Fortaleza, em Ubatuba, o Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, os Parques Nacionais das Chapadas Diamantina e dos Veadeiros, na Bahia e em Goiás respectivamente, e o Morro do Urubu, no Rio Grande do Sul, são ótimas opções para quem deseja praticar a escalada. Outro paraíso para os praticantes é Minas Gerais, que tem em Candaraí, Igarapé e no Parque Nacional da Serra do Cipó três pontos requisitados pelos escaladores.

As roupas devem ser sempre confortáveis e o uso de sapatilhas apropriadas é obrigatório para aumentar a sensibilidade nos pés. O ideal é utilizar calças cumpridas para uma proteção extra nas pernas. Abusar do protetor solar e levar bastante água para hidratação e alimentos como barra de cereais e chocolates são outras dicas importantes.

As operadoras de turismo oferecem os equipamentos de segurança como a cadeirinha, que sustenta o praticante em uma posição segura e confortável, as fitas, grampos, mosquetões, corda, capacete e pó de magnésio, que absorve o suor e aumenta a aderência à rocha. Ao todo são 10 os equipamentos.

É sempre importante se certificar de que a operadora de turismo é associada à ABETA (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura), que trabalha para fortalecer o segmento e reforçar o potencial do Brasil para oferta segura e responsável de atividades de Ecoturismo e Turismo de Aventura.

Fonte: AD Comunicação & Marketing

  
  

Publicado por em