Operadora de Rafting recebe certificação internacional da IRF

Nos dias 19 e 20 de dezembro a cidade de Socorro (SP) deu um grande passo rumo a qualificação dos profissionais de turismo.

  
  

Nos dias 19 e 20 de dezembro a cidade de Socorro (SP) deu um grande passo rumo a qualificação dos profissionais de turismo. Trata-se da conquista de uma certificação reconhecida internacionalmente e que contemplou parte dos condutores da operadora de rafting ProximAventura/Canoar.

O processo foi conduzido pelo assessor da IRF (International Rafting Federation) no Brasil, Mássimo Desiati - um dos precursores da modalidade no país.

Desiati ressaltou a importância desta certificação para o destino: “Desta maneira estamos fortalecendo o turismo em Socorro, gabaritando cada vez mais os profissionais do rafting e trazendo qualificação internacional para o rafting local. Afinal de contas, o rio do Peixe é um dos mais desafiadores de São Paulo e sabemos que esta foi a primeira modalidade de aventura do destino. Com certeza a ProximAventura saiu na frente e isso fará com que as outras operadoras locais também busquem a certificação, trazendo assim fortalecimento para o segmento”.

O processo durou dois dias e a carga horária de 12 horas foi focada para técnicas no rio, análise individual de condutor e criação de cenários para resgates - ponto forte da certificação. Segundo Desiati, “é nesta hora que o condutor deverá mostrar seus conhecimentos e habilidades para manter a integridade do turista e controle da situação”.

“Fora a experiência adquirida, a certificação abre fronteiras profissionais, pois com a carteirinha reconhecida pela IRF não encontramos resistência ao buscarmos trabalho no exterior. Principalmente no momento em que o Brasil é Bi-Campeão Mundial de Rafting”, ressalta Charles Gonçalves, um dos sócios-diretores da ProximAventura. “Hoje ser um condutor internacional é uma grande oportunidade dentro do turismo e somente profissionais altamente qualificados terão seu espaço”, completa.

Certificação

Este tipo de certificação geralmente é aplicada para condutores com mais de 4 ou 5 anos de experiência e pode ter graduação até classe V dependendo da dificuldade do rio e nível pretendido pelo condutor.

Os condutores devem mostrar suas habilidades técnicas e teóricas, pois a certificação também conta com provas oral e escrita para analisar conhecimentos gerais sobre a modalidade.

No final de semana em que foi realizada a avaliação em Socorro, o nível do rio do Peixe era de cerca de 1,10m. Os condutores tiveram que “remar frente e forte” para conquistar a graduação III.

Nessa fase foram certificados 8 condutores e a proposta é qualificar outros profissionais com a 2ª etapa que está marcada ainda para o primeiro semestre desse ano. Com mais essa conquista, o Brasil se posiciona cada vez melhor no mercado mundial do turismo de aventura.

Para saber mais acesse: http://www.intraftfed.com

Fonte: ABETA

  
  

Publicado por em

Andreia

Andreia

22/02/2010 18:04:15
Acho muito importante para o fortalecimento do turismo de aventura e principalmente o rafting, uma das modalidades mais procuradas do segmento.