Rio de Janeiro ganha primeiro circuito de Turismo de Aventura

Um dos mais belos cartões postais do Rio de Janeiro, a Lagoa Rodrigo de Freitas passou a ser cenário do primeiro circuito de turismo de aventura da cidade.

  
  

Um dos mais belos cartões postais do Rio de Janeiro, a Lagoa Rodrigo de Freitas passou a ser cenário do primeiro circuito de turismo de aventura da cidade. O projeto é uma iniciativa da Lagoa Aventuras - primeira operadora de turismo no Rio de Janeiro a ter um contrato com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente para desenvolver esse tipo de atividade dentro de uma unidade de conservação. A empresa é fruto da parceria entre Gabriel Werneck (Rio Hiking) e Marcelo Skaf (Cânion Iguaçu).

O local contemplado foi o Parque da Catacumba. Criado em 1979, o Parque possui uma área de 31 hectares com fauna e flora abundante e diversificada. A inauguração aconteceu no dia 21 de março em cerimônia que contou com a presença do Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes e dos Secretários de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz, e de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello.

O projeto oferece aos visitantes quatro diferentes atividades. Uma delas é o arvorismo, que leva o público para uma caminhada perto do topo das árvores. Fixadas em troncos de eucalipto, plataformas são conectadas por brinquedos e pontes que ajudam a desenvolver o equilíbrio e proporcionam uma experiência única de caminhar na copa das árvores. As crianças também podem praticar em um circuito especialmente construído para elas. O público pode optar ainda pela tirolesa - a prática não exige esforço físico e proporciona a sensação de voar contemplando a natureza. O circuito de aventuras conta também com um muro de escalada. São 7 metros de altura e três opções de vias com diferentes níveis de dificuldade (fácil, moderado e difícil). Instalado no Mirante da Pedra do Urubu, o rapel completa o roteiro de atrações criado pela Lagoa Aventuras. O público recebe todo o equipamento necessário para a prática das atividades e é assistido por condutores e monitores experientes durante todo o circuito.

“A questão ambiental sempre esteve presente nesse projeto - utilizamos o turismo de aventura e as atividades de natureza como ferramentas para promover a conscientização, educação e preservação do meio ambiente”, ressalta Gabriel Werneck. Segundo ele, não houve qualquer remoção da vegetação do parque para a construção do circuito. “A escolha do percurso de arvorismo, por exemplo, foi pensada justamente para não termos que cortar nem furar nenhuma árvore. Para isso, instalamos postes de eucalipto e garantimos que nem uma árvore foi danificada”, explica Werneck.

A Lagoa Aventuras colocará em prática ainda este ano um projeto de educação ambiental, que prevê passeios no Parque da Catacumba com a participação de monitores ambientais e biólogos. O objetivo é reunir grupos para dinâmicas interativas, trilhas ecológicas, entre outras atividades, a partir de temas como história da região, aquecimento global, desmatamento, favelização e reflorestamento.

Para saber mais sobre a Lagoa Aventuras e os projetos desenvolvidos acesse: www.lagoaaventuras.com.br

Fonte: ABETA

  
  

Publicado por em