Brasil e Bolívia terão plano conjunto de turismo e cultura

Dirigentes públicos apresentam rota de integração de municípios fronteiriços com apelo histórico e cultural

  
  

A utilização da faixa de fronteira entre Brasil e Bolívia e a exploração turística do parque boliviano Noel Kempff Mercado e do Pantanal foram os principais projetos apresentados na abertura do II Encontro Internacional dos Municípios de Fronteira, em San Ignacio de Velasco, no país vizinho. Até sábado (25), bolivianos e brasileiros vão traçar um plano de ação conjunto para os segmentos de cultura, artesanato e turismo.

O encontro é organizado pelo Sebrae em Mato Grosso, com apoio do governo estadual, Governo Departamental Autônomo de Santa Cruz, Prefeitura de San Ignacio, comunidades de 14 prefeituras da Chiquitania, Universidade Católica Boliviana e a direção do parque nacional boliviano.

O Brasil é representado por secretários e técnicos de prefeituras de sete municípios (Cuiabá, Cáceres, Comodoro, Conquista D´Oeste, Pontes e Lacerda, Porto Esperidião e Vila Bela da Santíssima Trindade) e do governo de Mato Grosso. Há ainda representantes do Sebrae em Rondônia, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), do IBGE, da Associação Comercial de Cáceres, de associações de artesanato e grupos culturais das cidades.

Ao falar em nome do governo de Mato Grosso, a secretária adjunta de Desenvolvimento do Turismo, Vanice Marques, expressou que “a estrutura da estrada entre a fronteira do estado, desde San Matias até San Ignacio, mostra a necessidade de avançar a integração entre os dois lados para se ter um turismo adequado”.

O esforço bilateral para fortalecer os pequenos negócios também foi indicado pela diretora do Sebrae/MT, Eneida Oliveira, como efeito multiplicador da economia local. “Falar de integração de fronteiras é abrir portas para um novo modelo de desenvolvimento dos nossos municípios, com potencialidades no turismo, gastronomia, cultura, artesanato”, afirmou.

O diretor do Parque Noel Kempff Mercado, engenheiro Jorge Landivar, mostrou uma rota proposta para aproveitamento do ecossistema brasileiro e do patrimônio natural boliviano, que faz limite com Mato Grosso e Rondônia. “Podemos ter uma entrada para o parque a partir das Missões Jesuítas em San Ignacio, integrando o turismo natural e cultural para o interior do Brasil, até ao Pantanal, por Cuiabá, Campo Grande, São Paulo. Podemos proporcionar turismo regional a partir de Cáceres, San Matias (a 10 Km da fronteira com Mato Grosso), San Ignacio e entrar no parque”, explicou o diretor do parque boliviano.

O parque boliviano fica ao norte de San Ignacio e está encravado na fronteira entre os dois países. Já a cidade boliviana tem população de 48 mil habitantes e, neste ano, em 31 de julho, completa 261 anos de fundação. Junto com as comunidades jesuítas de San Jose, San Rafael, San Miguel, Santa Ana, Concepción e San Xavier, compõe o Patrimônio da Humanidade declarado pela Unesco em 1990.

Serviço:
Sebrae/MT - (65) 3648-1262
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Agência Sebrae de Notícias - www.agenciasebrae.com.br

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em