Chile: um destino que promete surpreender por suas infinitas belezas cenográficas

Nas Lagunas Altiplánicas, espelhos d’água na altitude dos Andes, pousam flamingos que geram cenas imperdíveis.

  
  

De norte a sul, o país atrai turistas de todos os gostos e idades, com diversas opções de passeios e atividades. De acordo com o governo do Chile, o país registrou um recorde histórico de chegada de turistas estrangeiros em 2012.

Foram 3,5 milhões de visitantes, um aumento de 13% em relação ao ano anterior. Destes, o brasileiro representou 11% do total, ou seja, 385 mil, o que já foi um aumento de 14,3% em relação a 2011.

Para quem ainda não escolheu o destino para as férias de julho, o Chile é uma ótima opção com diversas alternativas de passeios para todos os públicos.

O destino é imperdível para os viajantes, que terão sensações únicas através de degustações diferenciadas da experiência local e com um grande encantamento cenográfico.

A forma territorial do país é certamente uma das mais incomuns do planeta. Do norte ao sul, o Chile se estende por 4270 km, ao passo que entre leste e oeste estende-se por 177 km.

Com tamanha dimensão é possível ter uma programação que combine geleiras, montanhas, lagos, cordilheira, desertos, glaciares, praias e muito mais em viagens de descanso, negócios, luxo ou simplesmente de lazer.

Ao norte emerge o exuberante deserto do Atacama, o mais árido do mundo, com sua paisagem lunar formada por vulcões, montanhas, gêiseres e oásis nascidos dos pequenos leitos de água que descem dos Andes.

Na lista de opções no clima árido e seco é possível fazer trekking pelo Valle de La Luna, e pelos Geysers Del Tatio, a 4.300 metros de altitude, onde jorram águas aquecidas pelo calor que emana do subsolo.

Nas Lagunas Altiplánicas, espelhos d’água na altitude dos Andes, pousam flamingos que geram cenas imperdíveis.

A região desértica oferece um clima zen aos visitantes, com forte interação com a natureza. O clima é quente e seco durante o dia e frio à noite.

Na lista de atrações constam ainda Salar de Tara, Termas de Purutama, Laguna Chaxa, Laguna Cejar e Ojos Del Salar, Valle de Siete Colores, Quebrada de Kari, Caravana Ancestral, Guatín – Punta Del Inca, Quebrada de Talabre, Cavalgada Valle de La Muerte, Trek Pucara Cornisas, dentre outras.

Já no centro do país, cercada pela Cordilheira dos Andes, temos Santiago, a principal porta de entrada para o Chile, além das cidades litorâneas de Viña Del Mar e Valparaíso.

A capital chilena foi eleita o destino número 1 pelo The New York Times, em 2011, e oferece boas opções de lazer, compras e gastronomia para serem apreciadas a pé, pois tem ruas exclusivas para pedestres.

O visitante não precisa escalar a Cordilheira dos Andes para ver Santiago. Do alto das colinas San Cristóbal e Santa Lucia é possível ter uma vista panorâmica da cidade.

O Palácio de La Moneda, sede da presidência da república, tem a famosa troca dos guardas na Plaza de la Constitución, às 10 horas da manhã, e é uma opção obrigatória.

O Museu-Casa La Chascona, do escritor Pablo Neruda, também está na lista dos pontos turísticos mais visitados. Localizada no bairro boêmio de Bellavista - cheio de bares, restaurantes e ruas coloridas -, a casa foi saqueada durante a ditadura militar, mas se transformou em um museu com um rico acervo.

O Mercado Central é o local ideal para provar a culinária chilena, repleta de frutos do mar.

Santiago é ponto de partida para quem pretende conhecer outras regiões, como as vinícolas históricas que oferecem passeios encantadores, que misturam belas paisagens e degustação de ótimos vinhos.

Além disso, a apenas 60 km do aeroporto internacional de Santiago está a maior estação de esqui da América Latina, Valle Nevado. Com 45 pistas e três hotéis, ela pode ser acessada também apenas para passar o dia, com tours a partir da capital.

Lojas especializadas alugam roupas e equipamentos próprios para a prática de esqui e de snowboard. Instrutores ministram aulas de ambas as modalidades para adultos e crianças.

Pucón, uma pequena cidade localizada ao sul, entre o vulcão e o lago Villarica, também é um destino programado para o turismo e com destaque no país.

Repleta de densos bosques, lagos, rios, picos, águas termais e vulcões nevados, o vilarejo oferece excelentes oportunidades para quem gosta de atividades ao ar livre ou que prefere desfrutar da tranquilidade da natureza.

No inverno, o vulcão fica coberto por neve e é possível, de seu topo esfumaçante, esquiar e praticar snowboard.

No extremo sul chileno, Puerto Montt, Puerto Varas e Punta Arenas encantam os turistas que querem sentir o frio patagônico e conhecer a exuberante região.

Separadas por 20 km, Puerto Montt e Puerto Varas estão na rota de quem chega das terras austrais. A estrela da região que conecta as duas cidades é o vulcão Osorno.

Já Punta Arenas é o ponto de partida para a maioria dos cruzeiros que tem como destino a Antártida e é uma cidade que chama a atenção pela localização, cerca de 3.090 km distante de Santiago.

Visite: www.revistaecotour.com.br
Fonte: Marcos Junior

  
  

Publicado por em