De Istambul a Veneza: a herança de Bizâncio

Não é de hoje que Istambul faz parte do imaginário coletivo. A única cidade do mundo que se estende por dois continentes, Europa e Ásia, já foi conhecida como Bizâncio e depois Constantinopla. Agora é a sua vez de conhecê-la!

  
  
Não é de hoje que Istambul faz parte do imaginário coletivo

Não é de hoje que Istambul faz parte do imaginário coletivo. A única cidade do mundo que se estende por dois continentes, Europa e Ásia, já foi conhecida como Bizâncio e depois Constantinopla. Capital do Império Romano no Oriente e do Império Otomonano, ganhou para sempre a alcunha de “capital das capitais”.

Sarajevo, capital da Bósnia-Herszegovina, é repleta de mesquitas, igrejas, largos e esplanadas que remontam às sucessivas ondas migratórias de sua história. Nas mesquitas os muçul­manos rezam. O mesmo fazem os cristãos ortodoxos nas igrejas. A Mesquita do Im­perador merece uma visita, assim como a Igreja de Santo Antônio. Para as comprinhas, o Bazar e seu intenso comércio de artesanato, metal, peles, calçados e roupas é imperdível. Na Croácia, Dubrovnik, é hoje um dos destinos de viagem mais concorridos e surpreendentes do mundo. A cidade, rodeada de muralhas e fortificações, fica no sopé do monte de São Sérgio, debruçada sobre as águas do Mediterrâneo.

Split, a segunda maior cidade croata, foi fundada por Diocleciano, imperador romano famoso por sua perseguição aos cristãos. Ao longo de sua história foi governada por Roma, pelo Império Bizantino, pela República de Veneza, pelo Império Austro-Húngaro e por Napoleão Bonaparte. Todas esses dominadores deixaram sua marca na cultura, arquitetura e culinária locais.

Em Ravena, na Itália, os traço bizantino se revela no Palácio de Teodorico, rei barbáro que se encantou pela cidade ainda no século V. A viagem se encerra em Veneza, para muitos, a cidade mais bonita do mundo. Nascida do desenvolvimento de suas relações comerciais com o Império Bizantino, La Serenissima, abriga em seu coração a Praça São Marcos, o que talvez seja o maior expoente ocidental da arte bizantina, a Basílica de São Marcos. A igreja apresenta uma planta em cruz grega, baseada nos exemplos de Basílica de Santa Sofia e da Basílica dos Apóstolos, ambas em Istambul, onde tudo começou.

Fonte: AD Comunicação & Marketing

  
  

Publicado por em