Desvende os mistérios da Guatemala durante o Carnaval

Aproveite o Carnaval para cohecer a Guatemala em destinos inusitados onde a natureza se mistura aos mistérios e belezas da cultura maia

  
  
Tikal

A Guatemala, reconhecida no mundo por sua incrível beleza histórica, agora pode ser facilmente desvendada pelo público brasileiros com o dólar em baixa.

A viagem de descobrimento pelo “Coração do Mundo Maia” pode começar em Antigua. A 1.530 metros de altitude e rodeada por vulcões, a cidade é uma jóia colonial espanhola e foi declarada pela UNESCO um patrimônio da humanidade. Apesar de seu aspecto histórico, também é moderna e abriga galerias de arte, restaurantes sofisticados e lojas elegantes.

A presença do colonizador europeu é revelada na arquitetura de endereços como a Catedral e a Universidade de San Carlos. A Igreja de La Merced é ainda mais curiosa pela presença da arquitetura espanhola com elementos maias, o que gerou um gênero único de barroco. Isso pode ser verificado no delicado trabalho de ataurique – uma técnica de relevo em gesso – que reúne motivos geométricos, arabescos e frutas.

Os três vulcões que rodeiam a cidade são um espetáculo à parte. Água, Acatenango e Fogo garantiram à Antigua a alcunha de “Pompéia das Américas”, em alusão à famosa cidade romana. O Fogo está sempre coroado com uma fumarola no topo, o Água possui um belo lago dentro de sua cratera e o Acatenango está inativo no momento.

A herança maia está em toda parte. Cerca de 80% da população guatemalteca carrega o DNA maia e exibe orgulhosa suas roupas tradicionais, os huipil. Cada tribo mostra seus signos bordados nessas roupas, em arabescos, grafismos, animais ou flores. Essa variedade pode ser observada nos arredores do Lago Atitlán, considerado o “mais bonito do mundo” e formado após um cataclisma vulcânico ocorrido há 84 mil anos.

Em Chichicastenango tem destaque a pitoresca fusão da religiosidade maia e católica que se revela na igreja de São Tomás, erguida sobre um templo do período Pré-Colombiano. Porém, o grande sítio arqueológico da Guatemala é Tikal, na região de Peten. Na língua maia, o nome da cidade significa o “Lugar de Vozes”, o que designa seu caráter cosmopolita. Em seu auge, estudiosos estimam que Tikal abrigava de 100 mil a 200 mil habitantes.

Fonte: AD Comunicação & Marketing

  
  

Publicado por em