Dez motivos para percorrer o Caminho de Santiago de Compostela

O peregrino poderá saborear as variedades gastronômicas típicas de cada região da Espanha

  
  

Milhões de pessoas percorrem anualmente os mais de 800 km do Caminho de Santiago de Compostela, que fica na divisa entre França e Espanha. Motivação para encarar a aventura é o que não falta, por isso, abaixo os dez principais motivos para fazer as malas.

Confira:

1 - Espiritual: Realizar o Caminho em busca de um sentido para a vida. Ao longo da estrada percorrida, a pessoa faz uma meditação, reza conforme a sua crença, procura fazer um encontro consigo mesma. Faz uma retrospectiva da sua vida buscando respostas e um sentido para ela. Para os católicos, a Caminho reserva uma série de igrejas. Ao percorrer o Caminho de Santiago como peregrino, a Igreja concede o perdão dos pecados. Muitos percorrem o Caminho como forma de penitência ou a fim de conseguir alcançar uma graça.

2 - Turismo: Este é um dos principais motivos para muitos. O Caminho de Santiago passa por regiões da Espanha, como Navarra, La Rioja, Castilla y Leon, Lugo por igrejas e monumentos históricos construídos no século IX. A peregrinação iniciou por volta do ano 845, o que reserva muitas histórias e lendas. Há também trilhas com paisagens maravilhosas das montanhas, planícies e praias. O peregrino se encanta com a vegetação, as árvores, as flores e com as plantações de uva, trigo e girassol.

3 - Saúde: Muitos buscam o Caminho como forma de melhorar a saúde física e mental. Caminhar faz bem para a saúde, pode emagrecer, fortalecer os músculos, reduzir e até acabar com o estresse, com a depressão, problemas de circulação, dores de cabeça, entre outras doenças físicas e psicológicas. Tudo isso pode ser feito com bastante segurança. O percurso é muito bem sinalizado e o peregrino não divide o mesmo espaço com os veículos. Além disso, não há grandes preocupações com assaltos e violência.

4 - Gastronômico: Para encarar a caminhada, é preciso estar sempre muito bem alimentado. Comida de qualidade é o que não falta por lá. O peregrino poderá saborear as variedades gastronômicas típicas de cada região da Espanha. O cardápio vai se alterando conforme a região. Em geral, a refeição é composta de uma entrada, um prato principal, uma sobremesa, pão à vontade e uma bebida (água, refrigerante, cerveja ou vinho). O menu do peregrino é bastante acessível. Em geral, a refeição custa entre 10 e 15 euros. Um valor que compensa pela quantidade e a qualidade.

5 - Aprender e praticar línguas estrangeiras: Praticar a língua espanhola é um dos fatores que motivam as pessoas a percorrerem o Caminho. O peregrino encontrará ainda diversas situações em que poderá praticar também o alemão, o francês, o italiano e o inglês. Essas são as línguas mais faladas no Caminho de Santiago devido à grande quantidade de peregrinos de todas essas nações.

6 - Esportivo: A prática da caminhada ou do ciclismo (já que o Caminho também pode ser percorrido de bicicleta) funcionam como grande estímulo aos amantes do esporte. O Caminho pode servir como um treinamento antes de enfrentar uma prova de longa distância ou para adquirir condicionamento físico e preparação para uma competição.

7 - Desafio: Percorrer 800 km em 30 dias é um grande desafio! Conseguir forças para enfrentar o medo e as adversidades do Caminho de Santiago não é uma tarefa simples. Entretanto, a emoção de conseguir é muito maior que o medo de não tentar. Ao final, o sabor de superação é indescritível e impagável.

8 - Lazer: Alguns buscam o Caminho por pura diversão. Passar as férias com momentos de muita emoção e conhecer pessoas do mundo inteiro. É possível percorrer sozinho, com amigos ou ainda com grupos de agências de viagem. Mesmo quem optar pela solidão, dificilmente voltará sem fazer ao menos um amigo ao longo do trajeto.

9 - Viajar de forma econômica: Com a valorização da moeda brasileira, realizar o Caminho de Santiago é uma forma econômica de conhecer e fazer turismo por regiões de Portugal, França, Itália e Espanha. Uma peregrinação à Santiago fica entre 30 e 50 euros por dia, ou seja, de 75 a 125 reais. O custo maior fica por conta do transporte (aéreo, trem, taxi ou ônibus) até o início do caminho. Os albergues paroquiais e municipais - e até mesmo os privados - são bastante econômicos (em torno de 5 a 10 euros). Dão direito a banho e uma cama para dormir.

10 - Todos os motivos ou sem motivo específico: Não importa se você tem um, dez ou 50 motivos para percorrer o Caminho de Santiago de Compostela. O mais importante é que, com ou sem motivos, você encare essa façanha. Ao final, certamente você encontrará o motivo exato que o levou a fazer.

Visite: www.revistaecotour.com.br
Fonte: Paulo Bertechini

  
  

Publicado por em