Guatemala: uma viagem a Era da Colonização Espanhola e ao Império Maia

A Guatemala vem, aos poucos, sendo descoberta pelos viajantes do mundo todo. O “Coração do Mundo Maia” abriga, quase intocada, a herança espanhola de sua colonização, assim como as ruínas bem preservadas do Império Maia

  
  
O “Coração do Mundo Maia” abriga, quase intocada, a herança espanhola de sua colonização

A Guatemala vem, aos poucos, sendo descoberta pelos viajantes do mundo todo. O “Coração do Mundo Maia” abriga, quase intocada, a herança espanhola de sua colonização, assim como as ruínas bem preservadas do Império Maia. Para conhecer este país de impressionante beleza natural e enorme acervo histórico sugerimos um roteiro especial para vocês!

Antigua será o primeiro local desvendado nesse itinerário. Capital guatelmateca até o ano de 1776, ela está a 1.530 metros de altitude e é considerada um Patrimônio Mundial pela UNESCO. Histórica e elegante, a fama da cidade é justificada ao se passear pelas vielas ladeadas pelo casario que ainda permanece intocado e suas igrejas que marcaram a conquista do país.

Como suas ruas são estreitas, o transporte ideal no antigo município é o tuc-tuc, que carrega turistas e moradores com destreza. A hospedagem no El Convento Hotel Boutique, um elegante edifício em estilo colonial espanhol, garante fácil acesso aos principais pontos de interesse.

O roteiro inclui também visitas à Catedral Metropolitana, construção datada de 1680 com concepção renascentista, à Igreja de La Merced, que abriga uma fusão da arquitetura espanhola com a maia, gerando um barroco único, e ao Monastério de São Francisco, que reúne 42 quadros pintados em 1695 por Cristóbal de Villalpando retratando a vida do santo.

A viagem se completa com uma visita ao Lago Atitlan, o mais profundo da América Central

A viagem se completa com uma visita ao Lago Atitlan, o mais profundo da América Central. Nascido de um fenômeno vulcânico há mais de 80 mil anos, ele foi reconhecido pelo escritor Aldous Huxley, autor do best-seller “Admirável Mundo Novo”, como o “mais bonito do mundo”, designação que não irá decepcionar quem o conhecerá em uma navegação guiada por especialistas do lugar.

Seus 126 km² são rodeados por altas escarpas e diversas vilas maias que preservam a antiga cultura. Na região, as aldeias de San Juan e Santiago serão percorridas para se conhecer de perto o culto ao ídolo formado pela fusão de deidades maias e católicas, o Moximón.

Fonte: AD Comunicação & Marketing

  
  

Publicado por em