Navegue pelas águas que encantaram Darwin

A Patagônia é um local selvagem e instigante, que se divide entre Chile e Argentina, em um dos pontos mais austrais do planeta. Repleta de belezas naturais e lugares ainda intocados, a região pode ser desvendada por um cruzeiro único

  
  
A Patagônia é um local selvagem e instigante, que se divide entre Chile e Argentina

A Patagônia é um local selvagem e instigante, que se divide entre Chile e Argentina, em um dos pontos mais austrais do planeta. Repleta de belezas naturais e lugares ainda intocados, a região pode ser desvendada por um cruzeiro único com uma paisagem que não faz parte do dia a dia de nossos cenários tropicais. Geleiras, montanhas nevadas e um exótico bosque magalhânico, último ecossistema de florestas antes da Antártica, desfilam diante de olhos maravilhados.

A aventura começa em Santiago, a bela capital chilena resguardada pelos Andes oferece diversas opções de passeios. Museus, lojas, galerias e parques podem ser visitados em um dia e meio de estada. Por ser plana, Santiago é uma cidade perfeita para caminhar, observando a beleza arquitetônica do Palácio Presidencial de La Moneda, da Plaza de Armas e da bela Catedral Metropolitana.

A viagem segue para Puerto Natales, lar de grandes colônias de pinguins magalhânicos, o viajante já se deslumbra com o majestoso maciço de Torres del Paine, no Parque Nacional de mesmo nome, e com as gigantescas geleiras do Parque Nacional de Los Glaciares.

Em Punta Arenas, os turistas embarcam num luxuoso Cruzeiro e dá início a um passeio inesquecível. Passando pelo Estreito de Magalhães rumo a Ushuaia, na Argentina, o navio chega às imediações do Glacial Marinelli na Baía Ainsworth, em plena Cordilheira Darwin e dentro do Parque Nacional Alberto De Agostini e seu maravilhoso bosque sub-antártico. Depois, uma parada nas Ilhas Tucker para uma visita à colônia de pinguins.

A embarcação prossegue pela Avenida das Geleiras até alcançar o Canal Beagle e entrar no fiorde Pia, onde os viajantes desembarcam perto do glacial de mesmo nome e pode admirar a espetacular cordilheira gelada.

Seguindo pelo Canal Murray e Baía de Nassau, o navio chega, pela manhã, ao mítico Parque Nacional Cabo de Hornos. Descoberta em 1616, a região ganhou a alcunha de Fim do Mundo e foi declarado Reserva da Biosfera pela UNESCO. À tarde, é a vez da Baía Wulaia, sítio histórico onde ainda se encontram vestígios dos assentamentos dos índios Yámanas. Charles Darwin desembarcou nessa baía em 23 de janeiro de 1833, durante sua viagem a bordo do HMS Beagle, que consolidou sua Teoria de Evolução das Espécies.

A viagem termina em Ushuaia, cidade argentina mais austral do mundo. Por lá, a atração é o Parque Nacional Tierra Del Fuego, que oferece paisagens panorâmicas do Canal Beagle. Diversas trilhas ladeiam pântanos e barragens. Na trilha Lapataia, incríveis sítios arqueológicos, herança de povos indígenas, resistem à passagem do tempo. Para fotografar na memória, a despedida à Ushuaia é feita no Lago Roca, cuja água muda de cor de acordo com o tempo.

Depois de tanta exuberância, é hora de voltar à civilização com uma parada na charmosa capital argentina, Buenos Aires. Com um dia livre antes do retorno ao Brasil, é possível visitar o Caminito, a Recoleta, Plaza de Mayo e, é claro, desfrutar de um belo jantar ao som do tango para fechar a aventura em grande estilo.

Fonte: AD Comunicação & Marketing

  
  

Publicado por em