Norte da Itália, pode ser explorada em um roteiro especial de cicloturismo

O destino abriga ainda monumentos, museus, castelos medievais e festivais históricos

  
  
O cicloturismo de aventura é uma das modalidades esportivas mais procuradas por ciclistas de todo o mundo na região / Divulgação

Sob qualquer ângulo, a região de Emilia Romagna, situada ao norte da Itália, encanta e surpreende com suas extensas áreas de muito verde e flores de diferentes cores e espécies.

O destino abriga ainda monumentos, museus, castelos medievais e festivais históricos.

Mas não é apenas de atrações e pontos turísticos que vive a “Terra com Alma”, como é chamada pelos locais.

O cicloturismo de aventura é uma das modalidades esportivas mais procuradas por ciclistas de todo o mundo na região.

Confira dicas de roteiro para curtir o melhor do esporte no país:

- Coriano Montescudo, Rimini (46,5 km)

Para os ciclistas menos experientes, este circuito é uma boa pedida. O trajeto começa atrás do centro comercial de Le Befane e vai até a via Coriano, que dá acesso a uma longa estrada livre de trânsito e semáforos.

Durante o percurso, muita cautela, pois haverá um trecho íngreme, que poderá levar o atleta a atingir a velocidade de até 70 km/h. Ao final, já no pico de Montescuro, é possível ter uma vista panorâmica e privilegiada de Rimini.

- Valmarecchia, Rimini (50 km)

Um dos trajetos mais clássicos da região, o circuito de Valmarecchia é ideal para quem procura contato com a natureza. O percurso passa pelo centro histórico de Rimini, com acesso ao Parque Marecchia, que permite pedaladas às margens de seu rio.

Já no final do caminho, o ciclista deverá atravessar a Ponte Verucchio, e seguir em direção ao Santuário da Madonna di Saiano, objetivo do roteiro, onde é possível encontrar uma fonte de água doce para o ciclista se refrescar depois de uma longa jornada.

- República de San Marino (65 km)

O passeio de Riccione até San Marino é, sem dúvida, um dos mais emocionantes. Ele é feito em uma antiga ferrovia – já desativada –e que atualmente serve de ponto de partida para quem começa a pedalar. Uma parada para conhecer San Marino, primeira República do mundo, é quase que obrigatória.

Lá, existem três torres, que serviam de vigia na era medieval, e ficam a 700 metros de altitude. Ao chegar no topo de um deles, não deixe de conferir a vista privilegiada da região.

- Montefiore Conca, Rimini (65 km)

Não há restrições para desfrutar deste passeio, mas é preciso ter forças nos pedais no sobe e desce das colinas. Assim é o circuito de Riccione até Montefiore Conca. O trajeto passa por Monte Altavelio, Tavoleto, até chegar no destino final, o castelo malatestiano de Montefiore Conca.

A sensação de que valeu a pena o esforço torna-se ainda mais intensa quando a bela imagem histórica do castelo de Montefiore, construído em 1337, reflete aos olhos. A paisagem vista do local é deslumbrante.

- Cippo de Carpegna, Rimini (115 km)

Este passeio é para os ciclistas mais experientes. O trajeto possui extensão de 115 km e chega a 1.344 metros acima do mar. O percurso começa próximo ao centro comercial de Le Befane, segue para via Coriano, até chegar ao primeiro cruzamento de Montelicciano.

Lá, já é possível avistar a pitoresca cidade de Montecerignone. A poucas centenas de metros de distância, o desafiador Monte Cippo e seus 1000 metros de altitude sugere muita determinação e força nas pernas para a subida.

Rimini, cidade onde nasceu o cineasta italiano Federico Fellini, tem infraestrutura completa para receber ciclistas – desde oficinas, locais para aluguel e hotéis dedicados ao esporte até estacionamentos de bicicletas.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: Ulisses Koketu

  
  

Publicado por em