Portugal mantém antigos costumes para celebrar as festividades natalinas

No início de dezembro, os moradores do Alentejo plantam sementinhas de trigo em vasinhos com algodão embebidos em água, que são dedicados ao Menino Jesus.

  
  

Em terras portuguesas, comemorar o Natal vai muito além da tradicional Missa do Galo. Repleta de paisagens bucólicas, a região do Alentejo, que é a maior do país, mantém vivas as antigas tradições e festeja de maneira especial o feriado cristão. Conheça cinco desses costumes que ainda são usuais para celebrar a data.

O Auto de Natal

A encenação do Auto de Natal é uma das tradições que os habitantes da cidade de Beja (a 180 km de Lisboa) ainda praticam; as apresentações acontecem desde o Natal até o Dia de Reis (6 de janeiro). O presépio vivo conta toda a história do nascimento de Cristo em versos. Anteriormente, era representada ao ar livre e com duração de até 10h, característica extraída dos tradicionais teatros populares. Hoje, continua longa, mas é representada no salão paroquial.

O Madeiro

Os alentejanos iniciam a coleta de pedaços de madeira nas semanas que antecedem a data e os reúnem nas principais praças das aldeias e vilas da região. Na véspera do Natal, dia 24, todo o material recolhido é utilizado para acender uma enorme fogueira que “ilumina o nascimento do menino Jesus” e aquece a noite de inverno. Enquanto ardem as chamas, que podem chegar à altura das igrejas, os moradores aproveitam para relembrar bons momentos e apreciar os vinhos locais.

Presépios e Roncas

O artesanato em barro é produzido em diversas partes da região alentejana. No período do Natal, os bonecos de barro de Estremoz (a 169 km de Lisboa) dão vida a um dos presépios mais conhecidos do país, exposto na própria cidade. Os artistas criam as peças em um estilo próprio e alegre, com o uso de cores vibrantes e personagens variados. Já em Elvas (a 206 km de Lisboa), os cânticos natalinos são acompanhados pelo curioso som da ronca, tradicional instrumento musical semelhante à cuíca, elaborado com um pote de barro coberto com pele de cabra ou carneiro em um dos bocais e perfurado ao meio por uma vara de madeira.

Consoada

Em alguns lugares de Évora (a 132 km de Lisboa), é comum abastecer a despensa com carne de porco para a ceia de Natal. O jantar da véspera, conhecido como Consoada, oferece pratos à base de peixe, como sopa de cação, pescada frita e bacalhau, para simbolizar o antigo preceito de abstinência. Para encerrar este jejum de carne vermelha, a ceia ocorre logo após a Missa do Galo e o cardápio é composto por vários pratos de carne de porco.

Searinhas do Menino Jesus

No início de dezembro, os moradores do Alentejo plantam sementinhas de trigo em vasinhos com algodão embebidos em água, que são dedicados ao Menino Jesus. Após germinarem e se transformarem em pequenas searas, as plantas podem ser colocadas junto ao presépio. Segundo a crença local, as mudas postas à mesa da ceia não deixam que nela falte pão. Após o Dia de Reis, as searinhas devem ser transplantadas para a terra.

- Sobre o Alentejo

Considerado o destino mais genuíno de Portugal, o Alentejo é a maior região do país. Privilegiando um lifestyle tranquilo em que a experiência de viver bem dá o tom, conta com belas praias intocadas e cidades repletas de atrações ímpares, como castelos e monumentos históricos. Detentor de três títulos da UNESCO e diversos outros prêmios e reconhecimentos internacionais no setor do turismo, o Alentejo oferece opções para todos os tipos de viajantes, sejam famílias, casais em lua de mel ou aventureiros.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: Jessica Ferreira

  
  

Publicado por em