Prefeita de Roma proíbe tomar banho e sentar em fontes históricas

Medida proíbe que moradores e turistas entrem nas famosas fontes da capital italiana para tomar banho ou sentar no mármore dos monumentos

  
  

Por Eduardo Andreassi

Fontana di Trevi, Roma

A prefeita de Roma, Virginia Raggi, baixou um decreto nesta segunda-feira (12)que proíbe que moradores e turistas entrem nas famosas fontes da capital italiana para tomar banho ou sentem no mármore dos monumentos. Além disso, também será proibido consumir alimentos, fazer acampamentos — como estender tendas ou aglomerar pessoas — ou jogar qualquer objeto dentro da água até o dia 31 de outubro. A única exceção, claro, é lançar moedas na Fontana de Trevi.

Quem descumprir a regra deve pagar uma multa que chega a 240 euros (R$ 885,60). De acordo com a ordem emitida pela Prefeitura, a medida é necessária “para impedir que se verifiquem episódios contrários às regras do decoro urbano e garantir a adequada tutela do patrimônio histórico, artístico e arqueológico de Roma”. A medida se aplica tanto às fontes que tem particular interesse histórico bem como para áreas próximas às estruturas. O decreto também quer evitar o que acontece com a chegada do verão, quando muitas pessoas entram nas fontes históricas e as usam como piscinas.

A medida afeta as fontes romanas que têm um particular valor histórico, entre elas a Fontana di Trevi, a Fontana della Barcaccia na Piazza di Spagna, a de Nettuno em Piazza Navona e a de Dea Roma em Piazza do Campidoglio, onde está localizada a sede da câmara municipal.

Fontana di Trevi, Roma
  
  

Publicado por em