Tallin: Passeie de bicicleta por uma cidade medieval

Esta cidade colorida, capital mais antiga do norte da Europa, permanece quase intacta, apesar do desenvolvimento e da modernização, e explorá-la a pé ou de bicicleta é uma viagem inesquecível pela Idade Média

  
  
A cidade é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO

Situada, como num conto de fadas, nas margens do Mar Báltico, Tallinn está na vanguarda do revivalismo. Este novo movimento do turismo vem sendo liderado pelos Estados bálticos à medida que se tornaram independentes da URSS. Esta cidade colorida, capital mais antiga do norte da Europa, permanece quase intacta, apesar do desenvolvimento e da modernização, e explorá-la a pé ou de bicicleta é uma viagem inesquecível pela Idade Média.

A Estônia libertou-se do domínio soviético em Agosto de 1991 e 13 anos mais tarde, em Maio de 2004, ingressou na União Europeia, tornando-se um estado forte e independente. Desde então, vibrante e excitante, Tallinn é o perfeito exemplo desta nova era. O melhor local para comprovar o feroz orgulho dos estônios no seu país é a Cidade Velha medieval, no coração da cidade.

Edifícios com pequenas torres e telhados de tela vermelha caracterizam os becos empedrados deste Patrimônio Mundial da UNESCO, protegido por paredes de fortaleza e torres de vigia ainda intactas. Graças a estas defesas – 26 das torres ainda sobrevivem – a cidade sofreu poucos danos ao longo da sua história e ostenta uma série de casas originais, edifícios estatais e igrejas medievais. A imponente igreja gótica de Santo Olavo foi no passado o edifício mais alto do norte da Europa, com 159 metros de altura, sendo o seu ponto mais elevado o, ainda, original pináculo verde, que até hoje domina a cidade.

Em Tallinn, a zona comercial concentra-se na Praça do Município, cheia de histórias de feiras, encontros políticos e, até, execuções. Hoje em dia, pode procurar pechinchas no mercado tradicional ou sentar-se num dos cafés da moda que lotam a praça, enquanto observa os jovens estônios a exibirem recentes roupas de marca. Durante o Verão, a vida medieval regressa à praça, com o exuberante “Carnaval dos Velhos Tempos”. Outro bom local para se visitar é o edifício da Câmara Municipal, que data de princípios do século XIII.

Para uma perspetiva diferente da Cidade Velha e da localização de Tallinn no Mar Báltico, siga as muralhas da fortaleza e suba até ao Monte Toompea, onde sobressai a impressionante e ornamentada Catedral Alexandre Nevsky. Construída em 1900 por Nicolau II, último czar russo, este edifício de várias cúpulas cintila com os seus mosaicos de ouro. Se aguardar nas redondezas da catedral, irá ouvir o repicar violento dos 11 sinos que anunciam o início da missa. Em redor do monte, existem vários miradouros que oferecem vistas impressionantes da cidade e dos seus telhados até ao Báltico.

Na volta à parte baixa da cidade, o caminho faz um desvio à volta da gigantesca torre de canhão Kiek-in-de-Kok. Com um diâmetro de 17 metros e muros tão espessos que, provavelmente, demorariam cem anos para se demolir, ainda conserva um ar de desafio impenetrável. Outra torre que deve ser visitada é a torre da Donzela, onde, em tempos, eram encarceradas as prostitutas. Uma das casas mais invulgares da cidade, data do século XIV e pertenceu à “Irmandade das Cabeças Negras”, um poderoso grupo de comerciantes. A sua porta, verde e vermelha, está decorada com esculturas ornamentais de flores douradas.

À excepção do Monte Toompea, a cidade e os arredores são planos. Bons, portanto, para pedalar

Nenhuma visita a Tallinn estaria completa sem uma viagem à costa do Báltico, a qual lhe dará oportunidade para ver monumentos da era soviética e da Segunda Guerra Mundial. A melhor maneira de lá chegar é de bicicleta. À excepção do Monte Toompea, a cidade e os arredores são planos. Bons, portanto, para pedalar. É fácil alugar uma bicicleta, mas se optar por uma visita guiada da City Bike, poderá evitar estradas principais e andar por espaçosos parques e palácios, como o Palácio Kadriorg, que pertenceu aos czares. E quando chegar às águas azuis e tranquilas do Mar Báltico, poderá sentir nelas o espírito infatigável e desafiador que é tão característico dos estónios.

Fonte: Destinos de Viagem

  
  

Publicado por em