A classe média chega aos resorts

O aumento do poder de consumo da classe média brasileira está tornando cada vez mais comum a hospedagem em hotéis de luxo, os resorts

  
  
Resort na praia

Quando se ouve a palavra "resort", o bolso da maioria das pessoas começa a doer. É que a expressão ainda é muito associada ao turismo de luxo, acessível a poucas pessoas. No entanto, com o aumento do poder de consumo da classe média brasileira, esta realidade pouco a pouco tem mudado. Enquanto a classe A viaja ao exterior, aproveitando o dólar barato, a classe média conhece o Brasil, explorando destinos e serviços que antes se mostravam inacessíveis.

De acordo com pesquisa encomendada à Fipe-SP (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) pela ABTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), nos últimos oito anos, o número de passageiros de ônibus informados pelas empresas rodoviárias caiu 31%, enquanto que o número de passageiros de avião cresceu 115%. Segundo dados do estudo, a melhoria de renda da população, sobretudo a partir de 2007, e condições favoráveis para aviação são apontadas como os motivos para a mudança. É o momento inédito em que a classe média pode investir em um ramo do turismo antes exclusivo para as classes A e B: viagens de avião e hospedagem em hotéis e resorts.

Neste contexto, os chamados “resorts econômicos”, uma espécie de porta de entrada para este público, começam a entrar em expansão. Como exemplo de empreendimento neste ramo, na Praia de Sereia do Pratagy, uma das mais belas do litoral de Alagoas, há o Village Pratagy Resort, que dispõe de 242 unidades com preços que podem chegar até 50% a menos que outros resorts da mesma região. Entre os serviços oferecidos ao hóspede, estão o espaço kids; baby copa; serviço de bar, de acessórios e quadra de vôlei na praia; caiaque; atividades de recreação e outros itens.

“O Pratagy é o primeiro resort econômico do Brasil”, destaca Thomas Hartmann, gerente de Marketing e Vendas da GJP Hotéis & Resorts, que administra o empreendimento. A intenção da empresa, neste caso, é compensar o preço acessível com uma ocupação acima da média. “Aumentamos nossa receita em 34% no Pratagy, comparando fevereiro e março deste ano com o mesmo período de 2010. Isto indica que estamos no caminho certo”, avalia.

Sobre a GJP Hotéis & Resorts
A GJP Hotéis & Resorts, com sede em Porto Alegre (RS), é uma empresa com capital 100% brasileiro. Foi fundada pelo empresário Guilherme Paulus, presidente do Conselho de administração e acionista da CVC, maior operadora de turismo da América Latina. A GJP conta mais de 850 colaboradores e dez unidades no Brasil, localizadas emMaceió (AL), Natal (RN), Porto de Galinhas (PE), Foz do Iguaçu (PR), Porto Seguro (BA), Gramado e Bento Gonçalves (RS). Em breve, irá inaugurar o Meridiano Hotel, em Maceió.

Fonte: GJP Hotéis & Resorts

  
  

Publicado por em