A evolução do turismo de Garibaldi

A formação de roteiros, que é um papel da iniciativa privada, pode contribuir para aumentar a permanência dos turistas em uma região

  
  

O município de Garibaldi, primeira colônia de italianos do Rio Grande do Sul, foi também a primeira cidade a produzir espumantes no país, em 1913. Esta tradição se manteve ao longo dos anos de modo que, hoje, o local produz quatro milhões de litros por ano, segundo o Instituto Brasileiro do Vinho - e atrai 320 mil turistas, interessados, especialmente, nas 21 vinícolas da cidade.

São sete os roteiros visitados pelos viajantes. A Rota dos Espumantes revela a relação íntima entre a tecnologia de produção e a herança cultural dos imigrantes. A Estrada do Sabor, por sua vez, passa por propriedades rurais antigas e tem como foco a gastronomia regional.

Destacam-se também o roteiro das Passadas, que leva o visitante aos prédios da antiga rua Buarque Macedo, caminho percorrido pelos imigrantes até suas propriedades. O percurso pode ser feito de Tintim, um caminhão da Segunda Guerra Mundial.

Há ainda uma rota de Compras e outra Religiosa, que inclui visita a igrejas e conventos. Mas são os roteiros do Vale dos Vinhedos e a Maria Fumaça - que liga Garibaldi a Bento Gonçalves e Carlos Barbosa de trem - os mais visitados pelos turistas da região, segundo a secretária de turismo e cultura de Garibaldi, Ivane Sávero.

“A formação de roteiros, que é um papel da iniciativa privada, pode contribuir para aumentar a permanência dos turistas em uma região, além de ser uma aliada na comercialização dos destinos”, afirma Cristiano Araújo, Coordenador-Geral de Estruturação de Destinos do Ministério do Turismo.

Recentemente, o cicloturismo ganhou adeptos nas estradas vicinais de Bento Gonçalves. Também chegou à Estrada do Sabor e aos entornos do Rio das Antas, segundo o guia de turismo Fernando Martelli, onde são feitos passeios de rafting, especialmente na época de cheias. Os grupos de ciclistas pagam entre R$ 185 e R$ 270, tem um guia ao lado e um carro de apoio para reboque.

A beleza histórica da região está sendo retratada em novela para a TV aberta e longa metragem, com o diretor e artista Selton Mello. As produções audiviovisuais tem o apoio da cidade, movimentam a economia e dão visibilidade ao município. Em 2016, a cidade vai inaugurar o Parque Temático Etnográfico da imigração italiana, o que deve impulsionar ainda mais o turismo da região.

Garibaldi também vai ter o primeiro condomínio vitivinícola do país. Quem adquire um terreno no local deve automaticamente produzir vinho respeitando padrões de produção e qualidade. Uma lei municipal garante a manutenção da paisagem com os parreirais.

Investimentos:

Com o objetivo de receber melhor o turista, o Ministério do Turismo já investiu R$ 3,62 milhões em obras de infraestrutura em Garibaldi, entre elas a revitalização do acesso principal a cidade, a construção do pórtico, do mirante e pavimentação asfáltica em várias estradas.

Eventos:

Garibaldi comemora todos os anos o Dia do Vinho entre maio e junho com duração de 15 dias e a Fenachamp, que ocorre desde 1981 todo mês de outubro. A festa do Champanhe atrai em média 70 mil turistas por edição com gastronomia farta, shows e espumantes.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em