A importância do turismo na economia catarinense

Segundo o Relatório da WTTC, a importância do setor de Viagens & Turismo para a economia de Santa Catarina é indiscutível, mas boa parte do potencial dos destinos continua inexplorada em grande medida.

  
  

Sobre o relatório

A World Travel & Tourism Council (WTTC), realizou um estudo que, pela primeira vez, quantifica a contribuição econômica de Viagens & Turismo para um estado do Brasil, no caso, Santa Catarina.

O estudo quantifica todos os aspectos da procura de Viagens & Turismo, do consumo pessoal às compras de empresas, investimentos, gastos, exportações que são traduzidos para conceitos econômicos, como PIB e emprego.

Segundo a WTTC, a mensagem deste relatório é clara: O setor de Viagens & Turismo é muito importante para Santa Catarina, estimando-se que, em 2009, gera 12,5% do PIB do estado, ou R$14,8 bilhões (US$6,4 bilhões) e quase 510.000 empregos (11,9% do número total de postos de trabalho) em toda a economia do turismo.

O relatório ainda mostra outras tendências para os próximos 10 anos, em relação à economia e às exportações. "Espera-se que a renda gerada pelas exportações proveniente de visitantes internacionais e bens turísticos seja igual a 21,2% das exportações totais (R$7,1 bilhões ou US$3,1 bilhões) em 2009, aumentando (em termos nominais) para R$15,9 bilhões ou US$6,0 bilhões (18,5% do total) em 2019."

Há também uma análise feita sobre a atual posição do estado no turismo nacional, bem como o o turismo e a economia nacional, uma vez que o Brasil é o principal destino turístico da América Latina depois do México.

Sobre Santa Catarina

De acordo com o relatório, Santa Catarina é um dos estados brasileiros que conservam mais sinais da imigração européia dos séculos XIX e XX, sendo que a vasta maioria de sua população é descendente de europeus.

O extenso litoral (561 quilômetros), juntamente com os demais atrativos naturais são os principais pontos fortes turísticos do estado.

Outros atrativos citados no relatório são: o Morro da Boa Vista; o Morro da Igreja, em Urubici; a cidade de São Joaquim, durante o inverno; e a Oktoberfest, em Blumenau.

O relatório aponta para uma questão interessante, intitulada "Imenso Potencial Inexplorado", onde esclarece que "Santa Catarina possui riquíssimas atrações naturais, além de um patrimônio cultural diversificado – muito importante em termos de seu apelo turístico. Contudo, boa parte dessa diversidade permanece quase totalmente inexplorada. O turismo de lazer domina largamente a procura e, dentro deste setor, a grande massa dos turistas chega à procura de sol & praia. Além disso, existe uma sazonalidade acentuada nas chegadas e nos gastos, notadamente no que diz respeito ao visitante doméstico. Estima-se que, em 2008, o estado tenha atraído quase vinte milhões de visitantes que passaram pelo menos uma noite no estado – 19,8 milhões dos quais domésticos e 1,1 milhões vindos do exterior. (Essas estimativas provêm da pesquisa feita pela SANTUR, Estudo da Demanda Turística, que abordou os dozes meses entre outubro de 2007 e setembro de 2008.) Ainda não estão disponíveis dados finais para o ano de 2008".

Alguns Dados do Relatório da WTTC

- O gasto médio diário dos turistas internacionais em Santa Catarina foi estimado em R$86,28 (US$47,15), contra R$78,59 (US$42,95) do visitante doméstico;

- O gasto diário dos estrangeiros em viagem de negócios é de R$112,90, contra R$73,40 do visitante em férias e R$43,60 do visitante que viaja por outros motivos particulares;

- As mais importantes fontes de turistas são os estados vizinhos de Paraná e Rio Grande do Sul, gerando 24% e 14% respectivamente;

- A Argentina é responsável por dois terços das entradas de turistas internacionais em Santa Catarina;

- A finalidade da visita dos viajantes tanto domésticos como internacionais a Santa Catarina divide-se em 68% lazer, 18% negócios e 13% outras razões particulares;

- 90% do turismo de lazer em Florianópolis deseja somente sol & praia;

- Os homens são mais numerosos do que as mulheres, e a maioria das faixas etárias está bem representada;

- Menos de um terço dos visitantes fica em hotéis e guesthouses;

- Florianópolis é responsável por 38% da capacidade hoteleira;

Link para download: www.ecoviagem.blog.br/downloads/Relatorio-Final-WTTC.zip
O USO DESTE MATERIAL É AUTORIZADO, DESDE QUE A FONTE SEJA CITADA

Fonte: BAUMGARTEMN, Jean-Claude; KENT, Geoffrey J. W. Relatório Final do Evento WTTC / Viagens & Turismo: Impacto Econômico - Santa Catarina. 2009
WTTC - World Travel & Tourism Council

  
  

Publicado por em