Aquário de Santos acolhe novos moradores

Um deles veio do Zoológico de São Paulo. Outros dois enfrentaram viagem mais longa, desde a cidade de Natal (RN). São um leão-marinho e dois tubarões-lixa fêmeas, os novos habitantes do Aquário de Santos

  
  
Aquário de Santos

Um deles veio do Zoológico de São Paulo. Outros dois enfrentaram viagem mais longa, desde a cidade de Natal (RN). São um leão-marinho e dois tubarões-lixa fêmeas, os novos habitantes do Aquário de Santos.

O maior tanque em extensão do parque, com 80 m² e 366 mil litros de água salgada, estava vazio desde a morte do lobo-marinho Macaezinho, em abril deste ano. Ele havia substituído o leão-marinho Macaé, do qual herdara o nome. O terceiro exemplar vem dar continuidade à tradição. “Desde sua inauguração, em 1945, o Aquário possui um animal símbolo, escolhido pelas crianças como o maior atrativo. O novo morador é jovem e muito esperto. Desejo que seja feliz aqui e traga alegrias aos corações”, disse o prefeito João Paulo Papa durante a apresentação do mascote à população, na quarta-feira (21/12).

Ainda em fase de adaptação e com direito a veterinários, biólogos e tratadores, o exemplar (Otaria byronia) é um macho de seis anos e 270 Kg de peso. Segundo a secretária de Turismo, Wânia Seixas, “os visitantes ficaram apaixonados à primeira vista”.

Também presente na cerimônia, o secretário estadual de Meio Ambiente, Bruno Covas, citou a importância de o parque ter um símbolo que o identifique. “O Aquário possui inúmeras atrações, mas o apelo do leão-marinho pode ser transformado em iniciativas de divulgação e proteção à natureza”.

A hora e a vez dos tubarões
Os tubarões doados pelo Aquário de Natal pertencem à espécie Ginglymostoma cirratum, ameaçada de extinção. Eles medem 1,30 m e 1,80 m, mas podem chegar a 3,50 m. Os animais chegaram na quinta-feira (22/12), após três dias de viagem em caminhão, acomodados em cinco caixas d’água com capacidade de 1.300 litros cada.

As fêmeas fazem companhia para outra da mesma espécie, que se encontra no parque santista há 18 anos. Segundo o monitor de educação ambiental Alex Ribeiro, a antiga moradora não apresentou alterações de comportamento com a chegada dos novos exemplares. “A expectativa de vida do tubarão-lixa é de 20 anos, mas para que atinjam este patamar é essencial que estejam adaptados ao ambiente”, diz Ribeiro.

Fonte: Prefeitura de Santos

  
  

Publicado por em