Arquitetura e natureza unidas no Centro-Oeste

O roteiro Brasília e Chapada dos Veadeiros (GO) oferece uma combinação da arquitetura reconhecida mundialmente de Oscar Niemeyer e Lucio Costa com a natureza escancarada do Parque Nacional Chapada dos Veadeiros.

  
  
Formações rochosas do Vale da Lua, produzidas pelo choque entre a água com as pedras, produzem um cenário único e inesquecível

O roteiro Brasília e Chapada dos Veadeiros (GO) oferece uma combinação da arquitetura reconhecida mundialmente de Oscar Niemeyer e Lucio Costa com a natureza escancarada do Parque Nacional Chapada dos Veadeiros. O turista terá a oportunidade de conhecer o primeiro Patrimônio Histórico Cultural modernista do mundo e, ao mesmo tempo, fazer trilhas, mergulhar em cachoeiras e entrar em contato com o cerrado puro, intacto, livre da interferência humana.

Erguida em mil dias, Brasília figura nos livros de arquitetura como o mais importante e maior projeto modernista concretizado no mundo. Os prédios, monumentos e áreas públicas, em harmonia com os espaços vazios e a natureza, garantem uma ampla visão do horizonte. O visitante tem a impressão de andar num museu a céu aberto, com obras de arte que levam a assinatura de grandes artistas como Burle Marx, Athos Bulcão, Marianne Peretti, Alfredo Ceschiatti e Bruno Giorgi. Destacam-se a Catedral, O Congresso Nacional, a Igreja Dom Bosco, os palácios do Planalto e do Alvorada.

Além dos monumentos, a capital reúne um pouco de cada região brasileira. São nordestinos, mineiros, paulistas, goianos, gaúchos, povos de todos os estados que deixaram a terra natal para juntos construírem uma cidade no Planalto Central. A riqueza cultural ressoa nas diferentes tradições, sotaques, festas, artes e na variada gastronomia. Não a toa a cidade recebeu o título de Capital Americana da Cultura 2008 da Organización Capital Americana de La Cultura – CAC.

O visual de cachoeiras e matas rasteiras relaxa a mente durante as longas trilhas, mas é preciso ter fôlego para chegar ao final

A pouco mais de 200 quilômetros da capital, o visitante vai conhecer a vegetação exuberante do cerrado. É hora de deixar o concreto de lado e renovar as energias num banho de cachoeira inesquecível. As formações rochosas do Vale da Lua, produzidas pelo choque entre a água com as pedras, produzem um cenário único e inesquecível. O Parque Nacional Chapada dos Veadeiros é o local ideal para um bom teste de resistência. O visual de cachoeiras e matas rasteiras relaxa a mente durante as longas trilhas, mas é preciso ter fôlego para chegar ao final.

Além das diversas opções de quedas d’água, o local conta com uma infraestrutura básica, com restaurantes simples e opções gastronômicas um pouco mais sofisticadas. Tudo com o mínimo possível de interferência urbana. A ideia é proporcionar ao visitante o maior contato possível com a natureza, tanto que a Vila São Jorge, na entrada da Chapada, não tem asfalto por uma opção dos moradores locais.

Preservação e infraestrutura

O presidente Lula e os ministros do Turismo e do Meio Ambiente, Luiz Barretto e Carlos Minc, lançaram em setembro de 2008 o programa Turismo nos Parques. Ele prevê ações conjuntas para preservação dos Parques Nacionais e promoção dessas áreas como atrativos turísticos.

A ideia é aproximar setor turístico das riquezas naturais do país. Para tanto, o governo prevê investir R$ 28 milhões (sendo R$ 10 milhões do Ministério do Turismo e R$ 18 milhões do Ministério do Meio Ambiente) em seis unidades de conservação ambiental.

Entre as áreas beneficiadas está o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO). Todo ano ele recebe aproximadamente 18 mil visitantes. O governo vai investir um total de R$ 4,2 milhões para recuperação do centro de visitantes, de estradas e das principais trilhas. Deste total, R$ 2 milhões serão empenhados pelo MTur e o restante pelo MMA.

De 2003 a 2008 o MTur investiu R$ 173,2 milhões em infraestrutura, R$ 22,2 milhões em eventos e R$ 2,3 milhões na divulgação de Goiás como ponto turísitco. Outros R$ 103,8 mil foram aplicados no Museu das Artes Divino, em Pirinópolis (GO), dentro do Programa de Qualificação dos Museus para o Turismo.

Edvanaldo Ferreira Costa – Produção Associada

Além das belezas naturais e arquitetônicas, o turista tem a oportunidade de entrar em contato com o artesanato local. No 4º Salão do Turismo, Edvanaldo Ferreira Costa representará a região. As mãos hábeis dele são capazes de transformar pedras em escultura.

Com um gurpião, espécie de serrote, ele corta a matéria-prima do tamanho desejado. Em seguida começa o trabalho de paciência e técnica. Com um formão, equipamento de aço com um cabo de madeira, ele transforma a pedra-sabão em esculturas de santos ou animais selvagens.

Para produzir uma peça de um metro o artista demora de dois a três dias. Depois do entalhe, ele lixa por três vezes com técnicas diferentes. Em seguida ele passa o verniz ou a cera a depender do gosto do cliente. Edvanaldo produz o material há 20 anos. A matéria-prima vem de Anápolis (GO).

Para saber mais
www.turismo.gov.br

Fonte: Salão Nacional do Turismo

  
  

Publicado por em