Arranjos produtivos fazem a diferença no turismo de Alagoas

No Arranjo Produtivo Local de Turismo Costa dos Corais, de 2004 a 2008, houve crescimento de 59,1% na taxa de ocupação média

  
  

Alagoas torna-se a cada verão um dos destinos mais procurados do Brasil. Uma estratégia que tem dado certo para o contínuo crescimento e aperfeiçoamento do trade turístico do estado é a realização de benchmarking, prática onde empresários visitam outros empreendimentos para observar e trocar experiências bem sucedidas.

De acordo com Vanessa Rocha, gerente da Unidade de Turismo, Artesanato e Cultura do Sebrae/AL em 2009, a instituição atendeu 578 empresas e mais de 11 mil pessoas, em ações de capacitação.

Segundo ela, estas ações são responsáveis pelo desenvolvimento da atividade nestas regiões. No Arranjo Produtivo Local de Turismo Costa dos Corais, de 2004 a 2008, houve crescimento de 59,1% na taxa de ocupação média. Em relação ao aumento de mão de obra, foi registrado crescimento de 13,4%.

“Superamos as metas graças ao envolvimento de todos os empreendedores e das instituições parceiras que atuam visando o desenvolvimento do setor”, destacou Ana Cristina, coordenadora do APL Costa dos Corais e Lagoas e Mares do Sul pelo Sebrae/AL.

“Como somos pequenas empresas, nem sempre temos condições de investir em nossos funcionários com capacitações, e o arranjo produtivo promove isso. Além de ações promocionais e marketing. Foi por causa do APL que a nossa associação voltou a funcionar e o trabalho está cada vez mais forte”, disse Adriana Franco, diretora administrativa da Assert Sul (Associação dos Empreendedores de Turismo do Litoral Sul de Alagoas).

Já no APL Turismo Lagoas e Mares do Sul, houve crescimento de 39% na taxa de ocupação média e 27% no número de mão de obra envolvida nos meios de hospedagem, bares e restaurantes. Como o APL Caminhos do São Francisco tem apenas um ano de execução, ainda não foi desenvolvida nenhuma pesquisa sobre o impacto das ações do arranjo na atividade turística da região.

“O arranjo ainda está no início de suas atividades, mas temos certeza de que as ações do APL Turismo Caminhos do São Francisco só vêm trazer melhorias na qualidade de vida e do setor econômico dos municípios contemplados pelo programa”, afirma Marina Gatto, coordenadora do APL Caminhos do São Francisco pelo Sebrae/AL.

Gargalos e metas

Apesar de muitas conquistas, o setor ainda enfrenta dificuldades. É preciso investir ainda mais na melhoria da infraestrutura e na qualidade dos serviços. Além disso, padronizar os serviços e produtos oferecidos aos visitantes e ampliar a divulgação dos roteiros turísticos, também são um grande desafio.

Para Vanessa Rocha, a qualificação contínua da mão de obra empregada no turismo ainda é deficiente e é necessário também que a própria população se conscientize da sua parcela de contribuição para o desenvolvimento do setor.

“Os empresários precisam capacitar seus colaboradores para um atendimento melhor, o que, aliado à tão reconhecida hospitalidade, torna-se fator decisivo para o turista vir e querer voltar. Outra dificuldade é fazer a população perceber-se como parte do desenvolvimento do turismo no estado. Não jogar lixo nas ruas, parar antes da faixa de pedestres, dar informações, ajudar a manter nossas praias limpas são pequenas atitudes que fazem a diferença”, destacou Vanessa.

A idéia é elaborar ações conjuntas e participativas que promovam o desenvolvimento sustentável dos negócios que compõem a Cadeia Produtiva de Turismo. Entre as metas, articuladas entre Sebrae, governo e demais parceiros, estão o novo projeto iniciado em 2010, o Turismo em Maceió, e ações de capacitação, com foco no mercado, consultorias, implantação de programas de qualidade.

“A meta também é manter o fluxo em alta na baixa estação, com os feriados e eventos. Estamos captando novos eventos importantes, com a parceria do Maceió Convention Bureau e o Centro de Convenções. Outro importante pilar da Setur é a captação de novos empreendimentos, que é a área responsável por acompanhar os trâmites burocráticos e auxiliar os empresários que tem interesse. Nessa área, Alagoas está avançando com a inauguração de novos hotéis e pousadas”, complementou o secretário de Turismo.

Além disso, a formalização também é meta importante. Com o advento do Empreendedor Individual, grande parte dos prestadores de serviço do turismo já podem se formalizar - jangadeiros, tapioqueiras, prestadores de serviço da orla, artesãos - inaugurando um novo tempo em suas vidas empresariais e colaborando para o crescimento da atividade turística no Estado.

Serviço:
Sebrae/AL – (82) 4009-1660

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em